Shine a Light

Imagem Cartaz Filme
Foto
Votos do leitores
média de votos
Imagem Cartaz Filme
Foto
Votos do leitores
média de votos
122 min 2008 M/12 08/05/2008 EUA, GB

Título Original

Realizado por

Sinopse

O olhar de Martin Scorsese sobre um concerto dos Rolling Stones (no Beacon Theatre, Nova Iorque, no Outono de 2006). Um portal para o mundo e para a história de uma das grandes bandas rock do mundo, que capta em palco a energia e o carisma inigualáveis de Jagger & cia.. Esta não foi a primeira vez que Scorsese enveredou por uma homenagem documental a um ícone musical: outros exemplos incluem "The Last Waltz" (1978), sobre os The Band, ou "No Direction Home" (2005), dedicado a Bob Dylan. PÚBLICO

Críticas Ípsilon

É só rock'n'roll

Jorge Mourinha

Ler mais

Shine a Light

Luís Miguel Oliveira

Ler mais

Críticas dos leitores

O concerto ao vivo por excelência

Nazaré

<p>Os Rolling Stones  ao vivo, nada de novo nesse aspecto, aliás é quase sempre mais do mesmo. Mas com Martin Scorcese a filmar, a coisa torna-se mais interessante. Não o que fez a magnífica biografia de Bob Dylan, mas o que filmou o concerto de despedida dos The Band, o mesmo que contribuiu sabe-se lá quanto do que faz do filme Woodstock um marco incontornável no género. Só que com meios actuais e, presume-se, muito backup financeiro. Dito isto, é a promessa duma experiência de cinema fora do vulgar.<br /><br />O realizador e a sua equipa montaram uma estrutura que foi feita para captar todos os pormenores, e sobretudo todas as emoções naqueles rostos, de modo a sentirmos um pouco o que os Stones sentem enquanto estão donos do palco - e enquanto a música vai saindo deles. Tiveram o talento de consegui-lo, imagina-se a azáfama de Scorcese a orientar os operadores de câmara de modo a não perder-se nenhuma oportunidade. E se Mick Jagger é o natural dono do palco, as emoções em Keith Richards são donas do filme.<br />São inúmeros os momentos únicos, e se juntarmos a sábia intercalação de entrevistas, e momentos de eleição como a actuação com Buddy Guy, só podemos com isto concluir que Scorcese fez aos Rolling Stones o mais belo tributo que se poderia conceber. Não é nada do que o trailer poderia levar a pensar, mas isso já se sabe como é...</p>
Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!