Blood Work - Dívida de Sangue

Votos do leitores
média de votos
Thriller, Drama 110 min 2002 M/12 08/11/2002 EUA

Título Original

Blood Work

Sinopse

Terry McCaleb (Clint Eastwood) é um implacável agente do FBI que abandona a profissão depois de um ataque cardíaco provocado pela perseguição de um assassino. Dois anos mais tarde, reformado e com um coração novo, Terry recebe a visita de uma bela mulher (Wanda de Jesús) que lhe pede ajuda para encontrar o homem que assassinou a sua irmã. McCaleb hesita, mas, quando descobre que a sua vida foi salva pelo transplante do coração da mulher que foi assassinada, aceita ajudar a desconhecida. "Dívida de Sangue" é um filme realizado, produzido e protagonizado por Clint Eastwood, com argumento de Brian Helgeland e baseado no romance de Michael Connelly. PÚBLICO

Críticas Ípsilon

Dívida de Sangue

Mário Jorge Torres

Ler mais

Dívida de Sangue

Kathleen Gomes

Ler mais

Harry Eastwood

Vasco Câmara

Ler mais

Clint Eastwood - Um coração nas trevas

Luís Miguel Oliveira

Ler mais

Críticas dos leitores

Um certo olhar

Rui Herbon

A frase não tem nada de original: Clint Eastwood é o último cineasta de um certo cinema americano, o clássico. E sendo-o, é também um cineasta moderno, não no sentido do arrojo estético, mas sim na procura constante da reinvenção da ideia de história por trás das imagens. Como no por vezes subvalorizado "Space Cowboys", Eastwood volta a colar o filme ao seu próprio processo de vida, aos tiques e mazelas do processo de envelhecimento. <br/>Mas será só isso o filme? Claro que não, é uma relação visceral entre almas interligadas, não directamente, por esse líquido fundamental: o sangue. Não crendo revelar a história do filme, que é o menos importante, concluo resumindo a sensação que este filme me deixou (e não é essa sensação final o que, de facto, conta?). Um mergulho numa certa idade, num certo envelhecer sem cair no facilitismo da desgraça, com um olhar tanto interior como exterior, mas um mergulho elegante, refrescante até, caso tenhamos a abertura de espírito suficiente para o aceitar, e dele sairmos com a alma mais limpa.
Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!