Apanha-me se Puderes

Votos do leitores
média de votos
Comédia, Drama, Acção 141 min 2003 M/12 07/02/2003 EUA

Título Original

Sinopse

<p>Baseado em factos reais, o filme conta a história de Frank Abagnale, Jr. (Leonardo DiCaprio) que trabalhou como médico, advogado e co-piloto de uma grande companhia de aviação antes de fazer 21 anos. Frank era um mestre do disfarce, um falsário brilhante cuja habilidade lhe permitiu roubar milhões de dólares. A missão de Carl Hanratty (Tom Hanks), um agente do FBI, capturar Frank e entregá-lo à justiça. Mas Frank está sempre um passo à frente neste jogo do gato e do rato, obrigando Carl a continuar a perseguição.<br /> "Apanha-me se Puderes" foi realizado por Steven Spielberg. A biografia de Abagnale fascinou milhões de leitores, inclusive o próprio Spielberg que, quando conheceu o autor, percebeu porque lhe era tão fácil fazer-se passar por médico ou advogado e enganar as pessoas. PÚBLICO</p>

Críticas Ípsilon

Actores em estado de graça

Luís Miguel Oliveira

Ler mais

Prazer cinematográfico

Kathleen Gomes

Ler mais

Spielberg no seu melhor

Mário Jorge Torres

Ler mais

Apanha-me se Puderes

Vasco Câmara

Ler mais

Críticas dos leitores

Um Mero Spielberg

Ricardo Pereira

Talvez por ter sido parte de uma primeira geração que cresceu vendo TV, e não lendo livros, Steven Spielberg mostre-se tão capaz de reciclar material antigo via olhar pessoal tecnicamente afiado. “Duel” e “Tubarão” ("filmes de monstro" dos anos 50), “Close Encounters of the Third Kind” e E.T. ("filmes de invasão alienígena" dos anos 50), a série Indiana Jones (matinés dos anos 30 e 40) e “A Lista de Schindler” e “O Resgate do Soldado Ryan” (estética do documentário de guerra) demonstram o apego de Spielberg pelo “retro”, o aspecto mais interessante desse seu novo filme. O filme é uma cópia perfeita de imagens da revista Life nos anos 60, do traço de Norman Rockwell e do tom pastel do Technicolor daquela época. O filme é baseado na história real de um vigarista americano que falsificava cheques e se passou por piloto da Pan American, médico e até advogado para fugir dos seus perseguidores, no caso, o FBI. Nada muito mais complexo que isso, o roteiro aproveita a biografia do falsificador, Frank Abagnale Jr. e cria uma linha narrativa simples, começando pelo final, com Frank (Leonardo di Caprio) sendo liberto de uma prisão francesa pelo agente especial Carl Hanratty (Tom Hanks) e desenvolve a história numa espécie de “flashback”. Tudo muito batido mas funcional, se levarmos em conta que o roteirista, Jeff Nathanson, é o mesmo de fitas fuleiras como “Rush Hour 2” e “Speed 2”.No entanto, “Apanha-me Se Puderes” é menos um jogo de gato-e-rato que uma reafirmação da fábula americana do self-made man. Tanto que, ao longo dos anos de perseguição, Frank e Carl desenvolvem uma espécie de amizade, baseada na mútua admiração. O enfoque de Spielberg é totalmente permissivo e complacente com a ganância de Frank. Não há tempo para que o criminoso experimente um mínimo humano de arrependimento ou culpa; quando não está fugindo, Spielberg o enfia em dezenas de cenas de pura auto-indulgência. Ainda mais representativo do inconsciente colectivo americano é o modo como Frank consegue sua fama e fortuna: logo cedo, com o pai, ele descobre que, mais importante do que ser, é preciso aparentar. O importante é se mostrar; é ostentar; é substituir, com um respeitoso uniforme de aviador ou um jaleco de médico, os anos de estudos necessários para exercer ambas as profissões. Os anos 60 dos Kennedy, da contra-cultura e do Vietname (citado rapidamente) dão espaço a um clima constante de “Breakfast at Tiffany’s” (1962), ou mesmo James Bond, citado aqui via “Goldfinger” (1964). É óbvio que foi feito riquíssimo trabalho de pesquisa para emular a identidade visual desse lado americanamente sofisticado dos anos 60, e nesse sentido o filme vale. Essa crónica retro talvez seja para a filmografia de Spielberg o que “North by Northwest” (1959) representa para a de Alfred Hitchcock, um exercício em diversão elegante. É também sobre uma cultura que festeja o dinheiro e o vencedor – e isto é o que o filme traz de mais desprezível.
Continuar a ler

Viagem alucinante!

Tiago Manuel Guedes

"Catch me if you can" ("Apanha-me se Puderes") apresenta-se ao espectador como uma viagem alucinante pelo percurso criminoso (mas tão cativante!) de Frank Abagnale Jr e em que Steven Spielberg recorre a um velho espírito de filme de aventura que há muito não se via, fazendo lembrar momentos de Indiana Jones e até de James Bond (com tributo a condizer...), com constantes mudanças espaciais e um soberbo encadeamento de acontecimentos. Certamente um dos grandes filmes deste ano.
Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!