Apanha-me se Puderes

Votos do leitores
média de votos
Acção, Comédia, Drama 141 min 2003 M/12 07/02/2003

Título Original

Sinopse

Baseado em factos reais, o filme conta a história de Frank Abagnale, Jr. (Leonardo DiCaprio) que trabalhou como médico, advogado e co-piloto de uma grande companhia de aviação antes de fazer 21 anos. Frank era um mestre do disfarce, um falsário brilhante cuja habilidade lhe permitiu roubar milhões de dólares. A missão de Carl Hanratty (Tom Hanks), um agente do FBI, capturar Frank e entregá-lo à justiça. Mas Frank está sempre um passo à frente neste jogo do gato e do rato, obrigando Carl a continuar a perseguição.
"Apanha-me se Puderes" foi realizado por Steven Spielberg. A biografia de Abagnale fascinou milhões de leitores, inclusive o próprio Spielberg que, quando conheceu o autor, percebeu porque lhe era tão fácil fazer-se passar por médico ou advogado e enganar as pessoas.
PUBLICO.PT

Realizado por

Steven Spielberg

Elenco

Tom Hanks, Leonardo DiCaprio, Christopher Walken

Críticas Ípsilon

Actores em estado de graça

Luís Miguel Oliveira

Ler mais

Prazer cinematográfico

Kathleen Gomes

Ler mais

Spielberg no seu melhor

Mário Jorge Torres

Ler mais

Apanha-me se Puderes

Vasco Câmara

Ler mais

Críticas dos leitores

Um Mero Spielberg

Ricardo Pereira

Talvez por ter sido parte de uma primeira geração que cresceu vendo TV, e não lendo livros, Steven Spielberg mostre-se tão capaz de reciclar material antigo via olhar pessoal tecnicamente afiado. “Duel” e “Tubarão” ("filmes de monstro" dos anos 50), “Close Encounters of the Third Kind” e E.T. ("filmes de invasão alienígena" dos anos 50), a série Indiana Jones (matinés dos anos 30 e 40) e “A Lista de Schindler” e “O Resgate do Soldado Ryan” (estética do documentário de guerra) demonstram o apego de Spielberg pelo “retro”, o aspecto mais interessante desse seu novo filme. O filme é uma cópia perfeita de imagens da revista Life nos anos 60, do traço de Norman Rockwell e do tom pastel do Technicolor daquela época. O filme é baseado na história real de um vigarista americano que falsificava cheques e se passou por piloto da Pan American, médico e até advogado para fugir dos seus perseguidores, no caso, o FBI. Nada muito mais complexo que isso, o roteiro aproveita a biografia do falsificador, Frank Abagnale Jr. e cria uma linha narrativa simples, começando pelo final, com Frank (Leonardo di Caprio) sendo liberto de uma prisão francesa pelo agente especial Carl Hanratty (Tom Hanks) e desenvolve a história numa espécie de “flashback”. Tudo muito batido mas funcional, se levarmos em conta que o roteirista, Jeff Nathanson, é o mesmo de fitas fuleiras como “Rush Hour 2” e “Speed 2”.No entanto, “Apanha-me Se Puderes” é menos um jogo de gato-e-rato que uma reafirmação da fábula americana do self-made man. Tanto que, ao longo dos anos de perseguição, Frank e Carl desenvolvem uma espécie de amizade, baseada na mútua admiração. O enfoque de Spielberg é totalmente permissivo e complacente com a ganância de Frank. Não há tempo para que o criminoso experimente um mínimo humano de arrependimento ou culpa; quando não está fugindo, Spielberg o enfia em dezenas de cenas de pura auto-indulgência. Ainda mais representativo do inconsciente colectivo americano é o modo como Frank consegue sua fama e fortuna: logo cedo, com o pai, ele descobre que, mais importante do que ser, é preciso aparentar. O importante é se mostrar; é ostentar; é substituir, com um respeitoso uniforme de aviador ou um jaleco de médico, os anos de estudos necessários para exercer ambas as profissões. Os anos 60 dos Kennedy, da contra-cultura e do Vietname (citado rapidamente) dão espaço a um clima constante de “Breakfast at Tiffany’s” (1962), ou mesmo James Bond, citado aqui via “Goldfinger” (1964). É óbvio que foi feito riquíssimo trabalho de pesquisa para emular a identidade visual desse lado americanamente sofisticado dos anos 60, e nesse sentido o filme vale. Essa crónica retro talvez seja para a filmografia de Spielberg o que “North by Northwest” (1959) representa para a de Alfred Hitchcock, um exercício em diversão elegante. É também sobre uma cultura que festeja o dinheiro e o vencedor – e isto é o que o filme traz de mais desprezível.

Continuar a ler

Viagem alucinante!

Tiago Manuel Guedes

"Catch me if you can" ("Apanha-me se Puderes") apresenta-se ao espectador como uma viagem alucinante pelo percurso criminoso (mas tão cativante!) de Frank Abagnale Jr e em que Steven Spielberg recorre a um velho espírito de filme de aventura que há muito não se via, fazendo lembrar momentos de Indiana Jones e até de James Bond (com tributo a condizer...), com constantes mudanças espaciais e um soberbo encadeamento de acontecimentos. Certamente um dos grandes filmes deste ano.

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!