Cinecartaz

Raul Gomes

Reflexão com dor e glória.

Banderas e Almodóvar num rumo fortíssimo aos Oscars.
Autobiografia dolorosa, magnificamente representada por Banderas, sob o comando do realizador que melhor o conhece e dirige, e cujo entrosamento nos brinda com momentos inolvidáveis, falando-nos da dor de criação, das suas paixões e desvarios, mas que lhe dão sentido e esperança na vida.
Retorna a "A Lei Do Desejo", após 32 anos, e realiza este filme, que só agora, aos 70 anos, claramente o poderia fazer, com plena maturidade, com uma esplêndida fotografia, narrativa e cenários magníficos.
Com um certo pudor e sem as extravagâncias que são ou seriam a sua imagem de marca, expõe-se de uma forma livre, terna e sensível, que nos comove.

Publicada a 10-09-2019 por Raul Gomes