O Herói

Votos do leitores
média de votos
Drama 120 min 1966 25/09/2014 Índia

Título Original

Nayak

Sinopse

Arindam Mukherjee (Uttam Kumar) é um actor famoso e uma das figuras públicas mais proeminentes da Índia. Certo dia, durante uma viagem de comboio de Calcutá para Nova Deli, onde vai receber um importante prémio, conhece Aditi (Sharmila Tagore), uma jovem jornalista que lhe pede para fazer uma entrevista. Aborrecido pela longa viagem de quase mil e quinhentos quilómetros e sem nada de mais interessante para fazer, Arindam aceita. Nessa demorada conversa com Aditi, acaba por revelar coisas da sua vida que nunca tinha divulgado antes: erros, inseguranças e alguns dos seus arrependimentos mais íntimos. Percebendo que por detrás daquele homem está alguém profundamente solitário e infeliz, e apesar da história espantosa que teria para os seus leitores, ela decide rasgar os apontamentos e não publicar nada que pudesse pôr em causa a imagem de segurança que Arindam sempre fez questão de mostrar publicamente...
Realizado em 1966 segundo um argumento original de Satyajit Ray, "O Herói" recebeu uma Menção Especial do Júri no Festival de Berlim e o galardão de Melhor Argumento nos Prémios do Cinema Indiano desse mesmo ano. Quase meio século após a sua estreia, a Leopardo Filmes fá-lo regressar ao grande ecrã na versão restaurada. PÚBLICO

Críticas dos leitores

Autenticidade e humanidade

Luís Telles

A universalidade da obra de Satyajit Ray decorre diretamente da autenticidade e da humanidade do seu cinema. Da justa representação dos usos, costumes e tradições indianos e do olhar repleto de sensibilidade para com os seus personagens, como Apu, o mais célebre de entre eles, criança inocente face às adversidades da vida. O seu estilo aparentemente naturalista (houve quem lhe chamasse neo-realismo indiano) é compensado por uma grande riqueza visual e rigor formal, acrescido de uma profunda carga simbólica (podiam escrever-se tratados sobre a relevância da animalística ou a simbologia do comboio na Trilogia de Apu, por exemplo). Ray é um dos poucos verdadeiros mestres da sétima arte e a sua obra está muito para além do cinema indiano: cada um dos seus filmes tem o mundo todo lá dentro.
Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!