The Incredibles 2: Os Super-Heróis

Votos do leitores
média de votos
Animação, Aventura 118 min 2018 28/06/2018

Título Original

Incredibles 2

Sinopse

<p>Catorze anos depois da primeira aventura, assistimos ao regresso da família Pêra. Na sequela de "The Incredibles", é a mãe, Helena, também conhecida como Mulher-Elástica, quem assume o protagonismo, enquanto o pai fica em casa. Depois de, no filme anterior, terem falhado em dar conta do assalto ao Banco de Metroville, a polícia decide fechar o programa de realocação de super-heróis. Eles são obrigados a viver permanentemente numa identidade secreta e, no caso da família Pêra, vão ter de mudar-se para um motel. Até que, um dia, o director de uma companhia de telecomunicações decide convocar super-heróis para uma publicidade, para lhes devolver a credibilidade junto da população. Entretanto, Mulher-Elástica é chamada para uma missão contra um novo vilão que invade ecrãs para controlar os espectadores. Quando, finalmente, consegue vencê-lo, percebe que há alguém por detrás dele que quer tornar ilegal o estatuto de super-heróis. Felizmente, tem a ajuda de Roberto "Sr. Incrível" Pêra para combater os vilões e desmontar essa conspiração. E ao seu lado vão estar os seus filhos – Violeta, Flecha e o bebé Jack, que agora descobre que tem superpoderes –, além do amigo Gelado.<br /> Regresso à animação de Brad Bird (que dirigiu o primeiro "The Incredibles" e co-realizou "Ratatui"), depois de "Missão Impossível: Operação Fantasma" e "Tomorrowland - Terra do Amanhã".<br /> PÚBLICO</p>

Realizado por

Brad Bird

Elenco

Holly Hunter (Voz), Sophia Bush (Voz), Craig T. Nelson (Voz), Samuel L. Jackson (Voz)

Críticas Ípsilon

Os miúdos podem ficar em casa

Jorge Mourinha

The Incredibles 2 é a primeira sequela da Pixar que faz sentido para lá da exigência de mercado.

Ler mais

Críticas dos leitores

Francisco Zuzarte

... esperar 14 anos para voltarmos a ver os nossos heróis de volta. Uma palavra também para mais uma curta da Pixar que, quem sabe, nem todos entenderam.

Continuar a ler

Mario

Bem que podiam meter os preços. Não custa nada. Sem o preço as pessoas gastam saldo e, às vezes, nem atendem.

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!