Como Desenhar um Círculo Perfeito

Votos do leitores
média de votos
Drama 122 min 2009 M/16 06/05/2010 POR

Título Original

Sinopse

Numa sombria e decadente mansão, no centro da cidade de Lisboa, vivem os gémeos Guilherme e Sofia (Rafael Morais e Joana de Verona), de 16 anos, e Leonor (Beatriz Batarda), uma mãe ausente, que delega nos dois filhos a responsabilidade de cuidarem da casa e de si próprios. Os dois cresceram habituados a depender apenas dos afectos um do outro e, de mãos dadas, vão despertar para a vida, para o amor e para a sexualidade. Sofia desde pequena prometeu a sua virgindade a Guilherme e essa será a obsessão do rapaz até ao dia em que ela decide cumprir com o prometido...
Cinco anos depois de "Alice", Marco Martins regressa com uma história dramática sobre as primeiras descobertas da adolescência e sobre um isolamento que conduz ao amor incestuoso entre dois irmãos. PÚBLICO

Críticas Ípsilon

Sem desejo

Jorge Mourinha

Ler mais

Críticas dos leitores

Número de Espectadores

José Rosa

Presumo que este filme tem mais votos de leitores do Público, que espectadores nas salas. O que não deixa de ser um fenómeno, no mínimo estranho.
Continuar a ler

Frustração

Marta Peralta

Bom dia a todos. Eu sou de Lisboa e há um ano mudei-me para Guimarães. Tenho acesso a várias áreas da cultura, desde cinema, teatro, música, exposições, dança... Mas hoje fiquei altamente frustrada. Queria muito ver este filme, sou fã do Marco. Já sabia que o ia encontrar em poucos cinemas, infelizmente o “Avatar” estava em todos e mais alguns, mas o NOSSO cinema, é sempre maltratado. (Por isso é que os nossos cineastas recebem prémios lá fora). No distrito de Braga o filme não está em exibição. Respirei fundo, procurei no Porto...NADA! O pior é que uma amiga minha de Lisboa que foi ver o filme e adorou, fez-me precisamente esse comentário, quando eu disse que estava a planear ir ver o filme: "Não deve estar no Porto, acho melhor procurares primeiro." Eu nunca fui de regionalismos, sempre defendi Lisboa e acentuei o facto de os nortenhos não terem razão, que o país é tratado como um todo. E sou enganada, desta forma triste... Cá em "cima" também há pessoas que gostam de cinema, que gostam de arte. Vai privar-nos disso?
Continuar a ler

Um círculo..

Isabel Antunes

Fui ver o filme e adorei! Marco Martins prova, mais uma vez o seu talento! Desde a fotografia, aos belíssimos planos, à profundidade do protagonista. É pena que o povo português só se interesse por novelas e filmes light de encher o olho e não de valor ao que de bom temos. Vejam, é um filme essencial, quase um espelho do que se passa e não se quer falar, talvez por isso a má recepção. Enfim, Portugal, tenho pena de ti!
Continuar a ler

Mais um

Ricardo Gomes

O filme nem sequer é mau, mas é muito fraquinho. Tanta expectativa, confesso que estava à espera de algo inovador e com nexo. São sempre os mesmos clichés. Enfim... De qualquer forma é um filme português e devemos louvar quem o fez pelo esforço. É de lamentar a ausência de público na sala, vi ontem à noite numa sala deserta, e o facto do público não aderir, como se vê pelo votos do publico nesta página. Mais um.
Continuar a ler

Um passo em frente

Surya

Depois do excelente filme de estreia, Alice, Marco Martins elevou a fasquia e era grande a expectativa para descobrir que sequência poderia o realizador dar ao seu primeiro trabalho. Dito pelo próprio em entrevista, a ideia para o filme nasceu de um filme do YouTube em que aparecia o campeão do mundo de desenho de círculo perfeito à mão levantada, a partir do qual se criou esta história de um rapaz com esse dom, que vive num mundo perfeito, encerrado sobre ele próprio. O título escolhido é um dos pormenores mais bem conseguidos deste trabalho, em total sintonia com a narrativa que sustenta. O cineasta admite o seu fascínio por temas e personagens obsessivos e tal abordagem é refrescante e inovadora no panorama português. Este filme insiste nessa direcção mas em contornos bem diferentes, retratando os sentimentos densos e perturbados entre dois irmãos gémeos que vivem à deriva, filhos de um lar desfeito onde tudo o que resta da família são eles mesmos e a relação amorosa que desejam manter é o fio condutor da história, o gerador de toda a tensão dramática. A premissa prometia e é de enaltecer a criatividade e a audácia do projecto, mas a concretização não foi, infelizmente, a melhor. A fotografia é, como em Alice, de uma qualidade assinalável assim como a capacidade de criar ambientes sombrios, melancólicos e frios (com a ajuda da banda sonora de Bernardo Sassetti), em total sintonia com os sentimentos dos personagens, mas os prolongados silêncios e os movimentos trémulos e por vezes caóticos da câmara desgastam o espectador e tornam, a espaços, penosa a experiência do visionamento. Apesar de tudo há que sublinhar que só arriscando se alcançam obras superiores e esta tentativa é mais um passo em frente para o cinema português. Podia era ter sido um salto… propagandacultural.blogspot.com
Continuar a ler

O MELHOR

Rita Alves

O melhor filmeportuguês em muito tempo.
Continuar a ler

BOM FILME

luis baldaia

Um bom filme, com grandes actores (Rafael Morais - o Guilherme) foi uma surpresa. Momentos eróticos de grande nível, sem recurso ao explícito (a ultima cena de amor entre os irmãos muito bem conseguida). Talvez demasiado centrado no Guilherme (quando o objecto do desejo era a Sofia). Um filme com grande intensidade emocional e com alguns apontamentos estéticos excelentes. Adorei a cena em que se ouve Jacques Brel - Au Suivant. Enfim, um filme a reter.
Continuar a ler

Que medo!

Pereira

Sinceramente quando decidi deslocar-me até ao cinema para ver, "Como desenhar um círculo perfeito", fui com algumas expectativas que com muita pena minha foram por água abaixo. Um filme que tenta retratar um pouco a nossa sociedade, mas que se perde ao transmitir um conteúdo vazio. Um filme que se resume "às coisas boas da vida": álcool, cigarros e sexo! Adoro teatro e cinema e quero continuar a apoiar o cinema português, mas assim? Vou então continuar à espera de um bom argumento e de uma boa produção PORTUGUESA!!
Continuar a ler

Brutal!!! Uau!!!!!!

Alexandra Macedo

Duas palavras: simplesmente fantástico!!! Que bom ver filmes que nos obrigam mesmo a tirar o chapéu e fazer uma vénia. Mesmo a história sendo complexa, é absolutamente "perfeita"! Gostei muito, muito.
Continuar a ler

PERFEITO!

Rui Silva

Adorei o filme. Assim sim, tenho orgulho em ser português. Filme lindíssimo mas muito pesado… Temos finalmente um excelente filme português, desde a fotografia, a história, a música e principalmente a direcção. Este filme conta com a melhor interpretação que já vi no cinema português por parte do protagonista. É difícil exprimir o que sinto, ainda não digeri o filme e isso é óptimo, muito raro!!!
Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!