Sem Tempo

Votos do leitores
média de votos
Thriller 109 min 2011 M/12 10/11/2011

Título Original

In Time

Sinopse

Num futuro próximo, a genética veio revolucionar a vida humana ao conseguir manipular o gene do envelhecimento. Assim, após os 25 anos ninguém envelhece. Mas, para evitar problemas de sobrepopulação, a morte passa a depender do tempo que cada um tem, tempo esse que passou a servir de moeda de troca, substituindo o dinheiro. Compra-se tempo, ganha-se tempo, compra-se com tempo, vende-se por tempo. É assim que quem é rico tem a imortalidade ao seu alcance, enquanto os pobres morrem jovens.<br />Aos 28 anos, Will Salas (Justin Timberlake) esforça-se por sobreviver e, de maneira a ganhar vida extra, está ligado ao submundo das lutas ilegais. Até conhecer Henry Hamilton (Matt Bomer), um milionário desiludido que, aos 105 anos, está farto de viver. Ao conhecer a história e a sede de vida do seu novo amigo, Henry passa-lhe todo o tempo que lhe resta e suicida-se, não imaginando o que a sua morte iria desencadear. Will acaba acusado de assassínio e perseguido pela polícia que, aparentemente, esconde algo que ninguém poderia imaginar.<br />Um thriller futurista escrito e realizado por Andrew Niccol que, 14 anos depois de "Gattaca", está de volta ao tema da manipulação genética. PÚBLICO

Realizado por

Andrew Niccol

Elenco

Cillian Murphy, Vincent Kartheiser, Amanda Seyfried, Justin Timberlake

Críticas Ípsilon

Sem Tempo

Jorge Mourinha

Ler mais

Críticas dos leitores

Duarte Albernaz

Não me lembro do titulo do filme que será a base para este... a diferença é o contador de tempo... no actual é um contador digital no braço, enquanto no anterior é um contador de cintura tipo caixa! Enfim... só lastimo que esse filme bem mais antigo não seja mencionado como antecessor deste "Sem tempo" ou "In time"!

Continuar a ler

doutor broncco

<p>Uma questão centra-se no cerne deste filme. Uma mistura entre o Robin dos Bosques e Bonny e Clyde passado num futuro não muito diferente da actualidade.</p>

Continuar a ler

Francisco Gouveia

Um processo inverosímil de utilização do tempo como moeda, acaba por se transformar em algo de real e em que acreditamos. Pelo menos enquanto dura o filme. Interessante, com um argumento com alguma imaginação, é um filme que se vê bem, mau grado os clichés. Um senão que julgo grave, é que acabamos por ter uma história igual se a moeda fosse dinheiro. Sem grandes pretensões, vê-se sem chatear.

Continuar a ler

MK

<p>É antes de tudo um filme que dá que pensar e o grande trunfo do mesmo é o argumento genial que nos deixa expectantes até ao final. (3*)</p>

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!