O Número

Votos do leitores
média de votos
Thriller, Drama 94 min 2015 M/14 01/12/2016

Título Original

Remember

Sinopse

Max Rosenbaum (Martin Landau) é um sobrevivente a um campo de concentração que não consegue esquecer o passado. Com 80 anos e a viver num lar de idosos há já vários anos, ainda não desistiu de se vingar de Otto Walisch, o homem responsável pela sua detenção e pela morte de toda a sua família. Mas, como está preso a uma cadeira de rodas, vê-se incapaz de resolver a questão sozinho. Por isso, pede a Zev Guttman (Christopher Plummer), o colega de quarto, para tratar do assunto. O grande problema é que Zev, apesar de estar bastante bem em termos físicos, sofre de Alzheimer e as suas falhas de memória têm-lhe causado grandes complicações nos últimos tempos. Percebendo que o tempo urge e que não podem esperar muito mais, Max faz algo um pouco inconsequente: anota todas as instruções num caderno para que Zeg as possa seguir meticulosamente.
Uma história dramática realizada por Atom Egoyan ("O Futuro Radioso", "A Viagem de Felícia", "Ararat", "Onde Está a Verdade?", "O Preço da Traição"), segundo um argumento de Benjamin August. O elenco, de luxo, inclui também Bruno Ganz, Jürgen Prochnow, Heinz Lieven, Henry Czerny e Dean Norris. PÚBLICO
 

Realizado por

Atom Egoyan

Elenco

Kim Roberts, Christopher Plummer, Martin Landau, Amanda Smith

Críticas Ípsilon

Auxiliares de memória

Jorge Mourinha

Atom Egoyan já foi um cineasta interessante, mas O Número confirma que deixou de o ser.

Ler mais

Críticas dos leitores

A minha mais sincera opinião sobre o filme

Diana Costa

Estava a fazer zapping na televisão quando vi que estava a dar este filme. Resolvi ver sem nenhum conhecimento do mesmo. Pois tenho a dizer que me bastou os últimos 30 minutos para me sentir tão cativada pela trama que no final até chorei de emoção. Parece exagerado mas, a verdade é que não precisei de ver a história toda para sentir empatia pela personagem ao ponto de torcer para que ele matasse o último nazi. Os plots twists finais deixaram-me sem palavras. Incrível como tudo se desenrolou até chegar ao grande apogeu que não só me deixou arrepiada como me fez chorar. Depois de ver esta obra magistral, fui ler as críticas à espera que os argumentistas elevassem este filme quando na realidade vejo que chamam, ao grande plot twist, "previsível". Só tenho a dizer que discordo fortemente. Nada do que eu vi me deu a entender que aquele seria o desfecho final. Assim, senti-me na obrigação de comentar para que, quem estiver a ler isto, saiba que o filme vale muito a pena e que, sem dúvida, recomendo assistirem. Acreditem que, as críticas negativas que o filme recebeu, são injustas e que muitas não têm fundamento. Como última ressalva e argumento, queria dizer que os atores desempenharam o papel de forma louvável!

Continuar a ler

O Numero

Castro Diniz

<p>Muito Bom. Estive para não ver devido à crítica negativa de um "especialista" ??. Ainda bem que já não ligo ao que dizem. Argumento original que coloca um nonagenario como assassino impecável mas cheio de fragilidades devido à idade. A demência de que sofre é apenas um pormenor do filme não importante nem determinante para a sequência mas, dá-lhe alguma "cor".</p><p>Na sua viagem implacável, e à medida q encontra os diversos personagens, vão-se sucedendo as surpresas. E a reviravolta final é magistral. Aliás, são duas as surpresas nos momentos finais. Mais uma vez concluo que críticos cinematográficos são cidadãos que não tiveram competência nem arte para serem realizadores ou argumentistas.</p>

Continuar a ler

Muito Bom

Durruti

As atrocidades nazis continuam décadas depois a dar excelentes filmes; antes não houvesse razões para os fazer. Bons actores numa excelente historia, quase estilo "road movie", em que nada parece o que é e onde somos surpreendidos com um final de luxo. A ver sem reservas.

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!