Giras e Terríveis

Votos do leitores
média de votos
Comédia 97 min 2004 M/12 17/06/2004

Título Original

Mean Girls

Sinopse

Criada pelos pais zoólogos em África, Cady pensa que sabe tudo sobre as "leis da selva" e a "lei do mais forte". Mas ao entrar no liceu percebe que há rígidas regras, grupos e afins que regem a conduta dos adolescentes. <p/>PUBLICO.PT

Realizado por

Mark Waters

Elenco

Rachel McAdams, Lacey Chabert, Lindsay Lohan

Críticas Ípsilon

Não existem críticas dos nossos críticos.

Críticas dos leitores

Para quê?

Uma Adolescente

Eu costumava interessar-me por este tipo de "entertainment", pois sendo uma adolescente identificava-me de uma maneira ou de outra com o filme. Mas após ver o "Giras e Terríveis", apercebi-me de que o conceito de "entertainment" por vezes é (como neste caso) uma mera desculpa para se fazer um filme instantâneo. Em termos de conteúdo é muito insignificante, não tem um enredo decente que agarre o espectador e as peripécias são extremamente irracionais. Se a ideia era fazer da Cody (personagem principal) a vítima do chamado sistema de valores modernos: a vaidade, o consumismo, a superficialidade e o egoísmo entre outros (encarnados pelas "barbies"), então esse antagonismo não está bem patenteado. Se ela cresceu de acordo com valores que iam completamente contra os que se lhe deparavam na nova vida, então isso criaria um choque. Se houve esse choque, ela não era de modo algum ingénua como parece no filme, pois tinha noção dessa contrariedade e inconciliação de valores. Então, se ela tinha consciência das circunstâncias, o papel de "vítima" foi de certo modo contraditório em todo o enredo. Quer dizer, ela sabe que que aqueles valores não são os melhores, mas depois encarna-os fazendo-se passar por "sou-tão-coitadinha-porque-deixei-me-levar-pelas-barbies-e-agora-sou-a-vítima", o que a personagem principal representa neste caso, é praticar o mal conscientemente sendo inocente. Isso é completamente contraditório porque se ela agiu de livre escolha, não pode ser considerada vítima e criminosa. Não se pode ser e não ser ao mesmo tempo.

Continuar a ler

Entertainment

v@sc

Não sei se não existem pessoas interessadas em comentar filmes não "intelectuais" ou se é a equipa editorial do Público que não as publica.<BR/><BR/>Este filme é o supra-sumo do "entertainment", um filme de adolescentes sobre uma rapariga incapaz de se adaptar à sua nova escola. Esta deixa-se influenciar por algumas colegas e mostra o pior que tem dentro de si, com uma reviravolta completamente previsível. Lindsay Lohan (que até não está mal neste filme) volta à bondade inata e recompõe as coisas mesmo a tempo do final feliz.<BR/><BR/>Curiosamente, isto não é uma má critica, o filme é muito feliz, tem uma narrativa fluente e deixa qualquer pessoa com um sorriso na boca.<BR/><BR/>Óptimo filme para ver com alguem de quem se gosta e sair do cinema sorridente.<BR/><BR/>p.s. - os críticos do Públíco deviam reconsiderar o que vão fazer ao cinema e, talvez, criticar os filmes sem se basear no número de pessoas que os vão ver, pois neste momento não é necessário ler o texto, basta espreitar a tabela do box-office nos EUA.

Continuar a ler

Uma comédia relativamente bem conseguida...

Filipe Oliveira

Uma comédia relativamente bem conseguida, que não cai no completo ridículo dos típicos filmes de adolescentes americanos. Embora a "realidade" retratada não se ajuste muito aos problemas comuns da sociedade adolescente portuguesa, consegue no entanto entreter o público durante um par de horas. É um filme ligeiro para quem tem tempo para dispender.

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!