Austrália

Votos do leitores
média de votos
Drama, Western 166 min 2008 M/12 25/12/2008 EUA, Austrália

Título Original

Australia

Sinopse

Austrália, final dos anos 30. Lady Sarah Ashley (Nicole Kidman) é uma aristocrata inglesa que viaja para o inóspito e selvagem continente. Aí, alia-se com alguma relutância a um homem rude, um vaqueiro (Hugh Jackman), para tentar salvar a terra que herdou. Com este homem, Sarah terá de percorrer centenas de quilómetros, para vender duas mil cabeças de gado, através de uma terra simultaneamente magnífica e impiedosa, inesquecivelmente bela, uma viagem que transformará para sempre estes dois seres, que em tudo pareciam opostos. A eles juntam-se várias pessoas da quinta, uma encantadora criança aborígene por quem Sarah começa a sentir um amor maternal, e a sombra de um misterioso mágico aborígene. Mas quando a Guerra chega também à Austrália e os japoneses bombardeiam Darwin, Sarah terá de lutar para reencontrar no meio do caos a sua nova família. <br /> "Austrália", um épico romântico, é realizado por Baz Luhrmann ("Moulin Rouge", "Romeu+Julieta"). PÚBLICO

Críticas Ípsilon

Austrália

Vasco Câmara

Ler mais

Austrália

Mário Jorge Torres

Ler mais

Canta-me histórias

Jorge Mourinha

Ler mais

Críticas dos leitores

Só faltou aparecer a Lassie

cdelis

O resto tem tudo! Corridinhas a dois - dúzias - Uns japoneses a ocupar uma ilhota de 100m2 só para matar o indígena heróico. Os que julgam que os outros estão mortos e depois se encontram, os vilões (nem falta um vilão que ri com voz grave) - chegadas no último segundo, etc. Um filme para puxar a lágrima, sacar um Óscar e fazer dinheiro.
Continuar a ler

Excelente...

Portela

Em poucas palavras, posso dizer que se trata de um filme excelente, em que o espectador do 1 minuto ao último começa a viver esta história e não consegue se desligar dela. Vale a pena assistir.
Continuar a ler

Muito bom

JM

Foi uma agradável surpresa, admito que estava algo apreensivo quando decidi ir ver Austrália. Um filme épico, como já não se fazia há muito. Bom argumento e boas interpretações. O tempo passa a correr. Excelente!
Continuar a ler

Estranho

Nuno Degroote

Fui ver o filme “Austrália” e deparei-me com uma situação caricata. O filme realmente junta vários significados e sentidos a onde o realizador Baz Luhrmann e a sua equipa de arte transmitem varias percepções a onde o espectador fica com a sensação de vários finais, realmente magnífico e poderoso. É engraçado que o meu filme preferido de infância o “Never Ending Story” conta com um miúdo de cabelos compridos que no inicio do filme possui um cavalo e quando vi o trailler do “Austrália” lembrou-me do mesmo. Na minha página do youtube (chananaca), no perfil, o meu filme preferido é o “Big Fish” e com uma procura no google verifica-se que quando se carrega no meu mini-filme aparece nos mais vistos há direita o “Never Ending Story”. No google, no primeiro link de chananaca está o meu cão (Pimpão) numa cena engraçada... O filme conta uma historia australiana a onde o rapaz mestiço anda de cavalo com os cabelos compridos, existe o símbolo do grande peixe, o protagonista que se apaixona pela Nicole K. tem um cão esperto parecido com o meu e, além de ser tirado de uma historia verídica, o realizador vai buscar o imaginário ao Feiticeiro de Oz. Estranho...
Continuar a ler

Recomenda-se...

João Fernandes

Entre “Pearl Harbour” e “O Piano”. Ao contrario do primeiro, não lhe falta conteúdo, e comparando-o ao segundo pensem no que perderiam se não o tivessem ido ver. Não deixa ninguém indiferente, risos, prantos, de tudo... Não sou nada deste tipo de filmes mas sem duvida que não defrauda em nada o espectador.
Continuar a ler

Pastiche! Pastiche! Pastiche! Diria Dorothy!

António Cunha

Digam estes "críticos à portuguesa" o que disserem - "Austrália" é um pastiche. Nunca um filme como este poderá ter mais do que 3 estrelinhas. Eu vejo mãos cheias delas... aqui! No Público! Como alguém disse há uns meses atrás os críticos que guardem as estrelas para filmes que, realmente, valham a pena ter boa pontuação. "Australia" vê-se com agrado mas nunca mais se lembra! É uma homenagem ao cinema clássico de Hollywood - A referência a 1939, ano da acção do filme, é também uma homenagem a "E Tudo o Vento Levou" e a "O Feiticeiro de Oz"... Enfim. Recorda também "África Minha" mas nunca recupera o brilho de nenhum desses filmes. Nem os sapatinhos vermelhos de Dorothy poderiam fazer milagre algum em "Austrália"... A prova de que este filme não vai rezar muita história é a não nomeação para os Globos de Ouro 2009! Felizmente! Nota: 2,5 estrelas
Continuar a ler

Mais um feito para 'Óscas ver'

Rita Ribeiro

Austrália não surpreende, entretém pelas bonitas paisagens, peca pelos cenários manipulados em mundo não rural, tem o seu quê de humor, é previsível, com um fecho bastante forçado. Nicole Kidman está bem como sempre, Hugh Jackman enche o olho de qualquer mulher, o romance é o enlace perfeito, a criança do filme encanta, mas de resto é mais uma grande produção com olho nos Óscares e sem olho em ser algo mais que nos impressione e acrescente algo.
Continuar a ler

Afinal em que é que ficamos?

Mário Bastos

Caro Senhor Jorge Mourinha, será que poderia ser um pouco mais claro e menos ambíguo nos comentários que assina? Neste comentário (cf: http://cinecartaz.publico.clix.pt/noticias.asp?id=219488) subscreve a opinião de quem afirma que este filme de tão mau vai ser o canto de cisne de Nicole Kidman - presumo que subscreve essa opinião, pois manda a lógica, o bom senso e até o prestigio que não façamos eco de opiniões que entendamos disparatadas. Neste seu outro comentário, com o título "Canta-me histórias", afirma que o filme "(...) é uma extraordinária celebração do poder do cinema clássico." Afinal em que é que ficamos? o filme é bom ou é mau? Solução 1 - O filme por um lado é um marco do Cinema mas por outro lado vai ser o fim da carreira de Nicole - seria extraordinário um filme possuir essas duas características. Nesse caso a Nicole mereceria o "Prémio Ed Wood para a pior actriz" e o realizador o "Prémio Ed Wood para o pior director" por não ter tido competência para dirigir uma actriz como a Nicole, que de burra ou estúpida acho que não tem nada, Solução 2 - O filme é tão extraordinário que nem a Nicole o conseguiu estragar. Será isso? Mas, se assim for, é a Nicole - uma actriz com o curriculum que tem e que trabalhou com alguns dos mais incortonáveis e exigentes directores de cinema da actualidade - uma actriz assim tão má? Seria outra coisa extraordinária.
Continuar a ler

Para quem gosta

VM

Pode ser um bom filme... para quem gosta e/ou suporta: (i) O romance que se entende na primeira cena; (ii) A criança desamparada que vai ser amada; (iii) O vilão que é mesmo muito mau; iv) O dono de bar que parece ser um barba rija mas afinal também tem coração; (v) Uma cena de magia só porque os aborígenes acreditam nela (acho que muita gente deve acreditar, a contar pelo número de filmes que usam algo que se pode definir por sobrenatural, sem pudor algum). Para mim valeu pelas imagens fantásticas da magnífica Austrália. Também pelo tributo aos aborígenes, que como todos os homens não brancos foram tratados como seres inferiores por nós, brancos... escrevo isto apesar que o tributo não me ter tocado. Para as mulheres há ainda o deleite do abuso de exposição do estrondoso corpo de Hugh Jackman.
Continuar a ler

Welcome to down under...

Demanjo

"Olha um canguru! Tão queridinho a pular e a pular e a pular e a .... AH!!!!!!!!" Não percebeu? Então vai ver este magnifico filme, vai se divertir, comover, chorar, suspirar, vibrar, e odiar... Uma autentica salada de emoções com um bom sentido de humor bem ausie!!! Em relação ao filme, Nicole está a interpretar muito bem. Adorei ao início com a cena do canguru... (Sim estou a espicaçar a curiosidade do leitor)... Eh eh eh... No contexto histórico, passa-se durante a II Guerra Mundial, um pouco antes da invasão dos Japoneses a Pearl Harbor. Quando uma inglesa vem à Austrália saber o que raio é que o marido está a fazer por lá. E quando chega vai descobrir que todos temos uma história por recomeçar a ser contada. PS - O feiticeiro de Oz, agradece... Porque será?
Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!