Cinecartaz

Pub
Cartaz do Filme

Vai e Vem

Título original:
Vai e Vem
De:
João César Monteiro
Com:
João César Monteiro, Joaquina Chicau, Rita Pereira Marques
Género:
Drama, Comédia
Classificação:
M/16
Outros dados:
POR, 2003, Cores, 179 min.

É o último "opus" de João César Monteiro, que morreu pouco depois de terminar o filme. Apresentado no Festival de Cannes 2003 na Selecção Oficial - fora de competição -, "Vai e Vem" foi unanimemente aplaudido pela imprensa internacional e considerado como a obra-prima de um dos maiores cineastas portugueses e mundiais, autor de algumas das obras mais perturbadoras e fascinantes do século XX.
Em "Vai e Vem", João César Monteiro - que já foi Max Monteiro e João de Deus -, é o senhor João Vuvu, parente próximo de João de Deus (a quem Monteiro dedicou uma trilogia), viúvo e muito pouco sociável, que efectua diariamente o mesmo passeio no autocarro nº100, entre a Praça das Flores e o Jardim do Príncipe Real, em Lisboa.
Durante as viagens de autocarro, a vontade de isolamento do Sr. Vuvu é perturbada: envolvido nas mais curiosas aventuras e desventuras filosofico-eróticas, encontra-se com os mais insólitos personagens, que lhe vão dar muito que pensar. A casa, onde livros e discos são as suas únicas companhias, começa a requerer urgentemente os préstimos de uma mulher-a-dias que teima em não aparecer.
João César Monteiro encena aqui a própria morte, interpela o espectador e olha-o como nunca o olhou, para no fim nos deixar um vazio impossível de preencher no cinema português.

PUBLICO.PT

PUB

Votos dos Leitores

Média da votação dos leitores, num total de 137 votos (carregue na posição pretendida para votar)

Votos dos Críticos

Envie-nos a sua crítica

Para submeter o seu comentário tem que ter javascript activo no seu browser.

Pedimos que respeite os nossos Critérios de Publicação. Reservamo-nos o direito a não publicar quaisquer comentários inadequados ou ofensivos. O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados. Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.

Críticas dos nossos leitores