Cinecartaz

Uma Adolescente

Para quê?

Eu costumava interessar-me por este tipo de "entertainment", pois sendo uma adolescente identificava-me de uma maneira ou de outra com o filme. Mas após ver o "Giras e Terríveis", apercebi-me de que o conceito de "entertainment" por vezes é (como neste caso) uma mera desculpa para se fazer um filme instantâneo. Em termos de conteúdo é muito insignificante, não tem um enredo decente que agarre o espectador e as peripécias são extremamente irracionais. Se a ideia era fazer da Cody (personagem principal) a vítima do chamado sistema de valores modernos: a vaidade, o consumismo, a superficialidade e o egoísmo entre outros (encarnados pelas "barbies"), então esse antagonismo não está bem patenteado. Se ela cresceu de acordo com valores que iam completamente contra os que se lhe deparavam na nova vida, então isso criaria um choque. Se houve esse choque, ela não era de modo algum ingénua como parece no filme, pois tinha noção dessa contrariedade e inconciliação de valores. Então, se ela tinha consciência das circunstâncias, o papel de "vítima" foi de certo modo contraditório em todo o enredo. Quer dizer, ela sabe que que aqueles valores não são os melhores, mas depois encarna-os fazendo-se passar por "sou-tão-coitadinha-porque-deixei-me-levar-pelas-barbies-e-agora-sou-a-vítima", o que a personagem principal representa neste caso, é praticar o mal conscientemente sendo inocente. Isso é completamente contraditório porque se ela agiu de livre escolha, não pode ser considerada vítima e criminosa. Não se pode ser e não ser ao mesmo tempo.

Publicada a 02-08-2004 por Uma Adolescente