The Beach Bum: A Vida Numa Boa

Votos do leitores
média de votos
Comédia 95 min 2019 M/16 09/05/2019

Título Original

The Beach Bum

Sinopse

<div>Viver a vida seguindo as suas próprias regras é o lema de Moondog, um escritor excêntrico e de espírito livre. Apesar de constantemente sob efeito de drogas ou álcool, nunca perde a sua postura de bem com a vida e com todos à sua volta. A sustentar os seus vícios está Minnie, a mulher, uma milionária que, ao contrário da filha de ambos, pouco se importa com a sua forma de estar.</div> <div>Com argumento e realização de Harmony Korine ("Gummo", "Viagem de Finalistas"), uma comédia dramática com Snoop Dogg, Isla Fisher, Zac Efron, Jimmy Buffett, Martin Lawrence, Jonah Hill e, a encarnar a personagem principal, Matthew McConaughey. PÚBLICO</div> <div> </div>

Realizado por

Harmony Korine

Elenco

Zac Efron, Snoop Dogg, Isla Fisher, Matthew McConaughey

Críticas Ípsilon

A odisseia de um poeta vadio

Luís Miguel Oliveira

Korine filma um monstro do inconformismo e de uma contracultura, nada predominante: Moondog.

Ler mais

Críticas dos leitores

Frederico Daniel

Foi uma banhada basicamente, anotem que um bom elenco nem sempre é significado de um bom filme.

Continuar a ler

José Miguel Costa

Harmony Korine (o queridinho de determinada franja de criticos de cinema) retorna aos grandes ecrãs (como realizador e argumentista) com “Beach Bum”, uma comédia trash híper exagerada sobre a trip permanente de um escritor boémio destituido de quaisquer filtros comportamentais, que se passeia pela vida sempre acompanhado por drogas, álcool e muitas mulheres de todas as cores e feitios (sob as expensas dos louros literários do seu passado, bem como da fortuna da sua jovem mulher). <br /> <br />Puro “delírio néon”, que inicialmente até pode nutrir algum efeito atractivo (pelo menos, enquanto nos deixamos iludir “pelo barulho” dos excelentes acessórios – fotografia e banda sonora – e pela performance non sense do camaleónico Matthew McConaughey) , no entanto, como “tudo o que é demais cansa”, a partir de determinado momento, torna-se simplesmente ridículo (ainda mais quando a narrativa é por demais pobrezinha).

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!