A Lei de Teerão

Votos do leitores
média de votos
Drama, Acção 131 min 2019 M/14 30/06/2022 Irão

Título Original

Sinopse

Samad (Payman Maadi) é um agente da brigada de narcóticos que há muito persegue Nasser (Navid Mohammadzadeh), um dos mais perigosos traficantes de Teerão, esperando que a sua captura ajude a controlar o tráfico de drogas no país, onde o número de vítimas já ultrapassa os seis milhões e meio. Mas quando Nasser é finalmente apanhado, algo que lhe valerá a pena capital, o detective percebe que, mais do que um perigoso criminoso, ele é uma vítima das circunstâncias. E isso só vem provar algo que ele já sabia: que todo o seu esforço no combate ao crime é inglório e que a verdadeira solução está fora das suas mãos. Este “thriller” de acção, realizado e escrito por Saeed Roustayi (“Leila's Brothers”), fala do grave problema do narcotráfico e da toxicodependência no Irão. PÚBLICO

Críticas dos leitores

Excelente

Nuno Lima

Excelente filme.

Continuar a ler

4 estrelas

José Miguel Costa

"A Lei de Teerão" é um alucinante e dramático thriller de acção ultra-realista com um forte pendor de crítica politica e social, realizado e escrito por Saeed Roustayi (32 anos), que nos infiltra no submundo de Teerão para dar-nos conta do grave problema do narcotráfico e da toxicodependência no Irão (cujas repressivas leis proibicionistas - que implicam a pena de morte para crimes desta natureza -, bem como os fundamentalistas preceitos religiosos, não têm conseguido minorar o impacto deste flagelo, que afecta 6,5 milhões de pessoas - aqui retratadas como um exército de zombies).

Descrito por alguns como a versão iraniana dos "Os Incorruptíveis Contra a Droga" (1971), segue as pisadas de um agente da policia que, apesar de cada vez mais decrescente da eficácia do sistema judicial e da vontade politica para exterminar os verdadeiros tubarões (limitando-se apenas aos desgraçados para os quais o tráfico foi a única escapatória à miséria extrema), continua determinado, de um modo quase obsessivo, em prender um esquivo peixe graúdo local. Nem que para tal, por vezes, tenha que recorrer a métodos pouco ortodoxos (que neste filme não existem agentes da autoridade completamente puros, nem vilões exclusivamente diabólicos - todos eles têm um passado e "contextos" que "expiam" as condutas comportamentais que manifestam).
E este protagonista é genialmente interpretado por Payman Maadi (o actor fetiche do nosso conhecido - e querido - Asghar Farhadi), coadjuvado pelo não menos cativante Navid Mohammadzadeh.

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!