Cinecartaz

Pub

Girl: O Sonho de Lara

Título original:
Girl
De:
Lukas Dhont
Com:
Victor Polster, Arieh Worthalter, Oliver Bodart
Género:
Drama
Classificação:
M/14
Outros dados:
HOL/BEL, 2018, Cores, 109 min.

Aos 15 anos, Lara sonha em tornar-se bailarina clássica. Quando é aceite numa prestigiada escola de dança, vê aí a oportunidade por que sempre sonhou. Porém, a disciplina rígida, associada às incapacidades físicas decorrentes de ter nascido num corpo masculino, vão ser um enorme teste de resistência para ela, que ainda atravessa o longo e penoso processo de terapia hormonal que a irá, finalmente, completar a sua transição para rapariga.
Vencedor do prémio “Caméra d'Or”, “Queer Palm” e Melhor actor (Victor Polster) no Festival de Cinema de Cannes, um filme dramático que marca a estreia na realização do belga Lukas Dhont e cujo argumento, da autoria de Angelo Tijssens, se baseia numa história verídica.  O estreante Victor Polster dá vida à protagonista, um papel que lhe valeu o prémio de Melhor Actor na edição de 2018 do festival Queer Lisboa; Arieh Worthalter, Oliver Bodart, Katelijne Damen e Tijmen Govaerts juntam-se ao elenco. PÚBLICO

PUB

Votos dos Leitores

Média da votação dos leitores, num total de 28 votos (carregue na posição pretendida para votar)

Votos dos Críticos

Não existem votos dos nossos críticos.

Envie-nos a sua crítica

Para submeter o seu comentário tem que ter javascript activo no seu browser.

Pedimos que respeite os nossos Critérios de Publicação. Reservamo-nos o direito a não publicar quaisquer comentários inadequados ou ofensivos. O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados. Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.

Críticas dos nossos leitores

  • Luisa Coelho

    Inquietante

    Um rosto belíssimo numa expressão de beatitude inquietante. Um menino, uma menina, ficamos (continuar a ler)

  • José Miguel Costa

    3 estrelas

    Lukas Dhont é um nome a fixar para o futuro. Conseguiu a proeza de colocar o mundo cinéfil (continuar a ler)

  • António

    Parcial

    Infelizmente a história é curta e parcial. Se fosse maior talvez mostrasse que a esperan&# (continuar a ler)