Cinecartaz

José Miguel Costa

2 estrelas

"Amar Pablo, Odiar Escobar", do espanhol Fernando León de Aranoa (numa co-produção hispano-bulgara produzida pelo Javier Bardem), apenas poderá ter interesse - e meramente informativo - para quem não tenha visto o "Narcos" (ou qualquer outra série e/ou documentário biográfico sobre o sanguinário narcotraficante colombiano). Para os restantes mortais, por certo, soará simplesmente a patético, pois o seu falhado registo entre o drama telenovelesco (que jamais consegue transmitir a "banalidade do mal" que pretende retratar) e comédia (quase) ligeira, a que acrescem uma (histérica) Penélope Cruz e um Javier Bardem anedóticos (que encarnam, respectivamente, o diablo que "chefiava" a Colômbia e uma famosa/interesseira pivot televisiva - cujo mediático relacionamento amoroso que mantiveram é o foco central desta obra), até nos faz sentir vergonha alheia pelo realizador que, outrora, teve a capacidade de emocionar com o magnífico "Às Segundas ao Sol".

Publicada a 20-07-2018 por José Miguel Costa