Cinecartaz

J.F. Vieira Pinto

Anomalias

Noventa minutos! Animação?! A informação é importante - pelo menos para mim - na visualização de um filme do género. Mas Kaufman, nao desilude. Este "Anomalisa" vê-se com imenso agrado de princípio ao fim. As “aventuras" de Michael em Cincinatti começam desde logo, no avião, terminando no regresso a casa com um "brinquedo" para o seu filho, comprado numa…Sex shop...
Michael, pode ser misantropo mas, a misogenia parece não pertencer ao seu "perfil". O trocadilho com a palavra "anomalia" e facto de ter conhecido Lisa, dá o título ao filme. Porque escolheu Lisa, quando a amiga desta, Emily era mais bonita? Porquê voltar ligar para um antigo namoro, dez anos depois, e ser questionado, porque razão acabou a relação? Problemas psicológicos, remata ele... E, no dia seguinte, o seu discurso, fica afetado pela frenética noite. Michael Stone tem dificuldade em convencer a plateia, sedenta de o ouvir, o autor de livros de Auto Ajuda, cuja leitura, "muda" a forma de viver de cada um...

Estamos nos EUA, o país onde nasceu Dale Carnegie...(***)

Publicada a 28-01-2016 por J.F. Vieira Pinto