Cinecartaz

JOSÉ MIGUEL COSTA

4 estrelas

Uma (pseudo)avalanche que quase atinge uma estância de esqui faz estalar o verniz duma família sueca (casal e duas crianças) perfeitinha e feliz que aí se encontra a gozar uns belos 5 dias de lazer. Isto porque no momento crítico aquele que deveria instintivamente cumprir o papel de macho alfa, protegendo a fêmea indefesa e as crias, foge a "sete pés" (sem se esquecer de salvar o telemóvel) - indo, portanto, contra todos os estereótipos da sociedade machista. E esse "deslize imoral" que o levou a agir de acordo com a emoção/instinto de sobrevivência, em detrimento da razão, irá provocar uma (verdadeira) avalanche emocional e um arrefecimento glacial a nível relacional.

A força (brutal) deste filme (imperdível) advém de dois aspectos base: o facto da tensão, que se inicia com simples piadinhas aparentemente inofensivas por parte do elemento feminino, instalar-se de um modo gradativo - "à la Bergman" -, trazendo à superficie toda uma série de problemas recalcados ao longo do tempo (sendo o casal desconstruído cena após cena); bem como por, aliado ao drama familiar, coexistir uma certa dose de humor e ironia (o que implica que em momento algum se transforme num "dramalhão", embora o desconforto teime em não largar-nos).

Publicada a 11-05-2015 por JOSÉ MIGUEL COSTA