Cinecartaz

Pub

Alain Oulman - Com Que Voz

Título original:
Alain Oulman - Com Que Voz
De:
Nicholas Oulman
Género:
Documentário
Classificação:
M/12
Outros dados:
POR/ISR/FRA, 2009, Cores, 109 min.

Um retrato de Alain Oulman (1928-1990), o homem que revolucionou o fado ao lado de Amália Rodrigues, num documentário realizado pelo seu filho, Nicholas. Artista multifacetado, celebrizou-se pelo seu trabalho conjunto e continuado com a fadista, sendo responsável pela introdução de alguns dos maiores poetas e escritores lusos na canção nacional.
Mas há mais Oulman para além de Amália: nascido em Lisboa, no seio de uma família judaica tradicional de origem francesa, foi perseguido pelo regime de Salazar, foi agente e editor literário, engenheiro, fundou o grupo de teatro Lisbon Players e dirigiu em palco Eunice Muñoz ou João Perry... Homem apaixonado por causas, pela literatura e pela música, é recordado e comentado neste documentário por figuras como, entre muitos outros, Soares, Maria Barroso, Muñoz, Perry, Solnado, Manuel Alegre, Celeste Rodrigues, Fontes Rocha, Rui Vieira Nery, David Ferreira, Fernando Lopes, Jorge Sampaio, Zita Seabra ou Amos Oz.
O título do filme reporta a um álbum histórico, assim baptizado pelo fado homónimo, musicado por Oulman a partir de Camões: "Com que voz chorarei meu triste fado / que em tão dura paixão me sepultou / Que mor não seja a dor que me deixou / o tempo, de meu bem desenganado."
Venceu o Prémio de Melhor Primeiro Filme no Doclisboa 2009 e foi seleccionado para o Festival Internacional de Cinema de Ourense.

PÚBLICO

Votos dos Leitores

Média da votação dos leitores, num total de 67 votos (carregue na posição pretendida para votar)

Votos dos Críticos

Envie-nos a sua crítica

Para submeter o seu comentário tem que ter javascript activo no seu browser.

Pedimos que respeite os nossos Critérios de Publicação. Reservamo-nos o direito a não publicar quaisquer comentários inadequados ou ofensivos. O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados. Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.

Críticas dos nossos leitores