Sahara

Votos do leitores
média de votos
Acção, Aventura 127 min 2005 M/12 21/04/2005

Título Original

Sahara

Sinopse

Dirk Pitt (Mathew McConaughey) é um explorador destemido que embarca na aventura da sua vida ao aceitar entrar numa caça ao tesouro no coração da mais selvagem região de África. Procuram o chamado "Navio da Morte", naufragado durante a Guerra Civil Americana e que trazia a bordo uma carga secreta. Pelo caminho, Pitt e o seu companheiro Al Giordino (Steve Zahn) acabam por ajudar a médica Eva Rojas (Penélope Cruz), que investiga uma epidemia misteriosa ao serviço da Organização Mundial de Saúde. É que pode haver uma ligação entre o barco e o misterioso surto de mortes naquela região. PÚBLICO

Realizado por

Breck Eisner

Elenco

Matthew McConaughey, Penélope Cruz, Dayna Cussler

Críticas Ípsilon

Sahara áfrica jones

Mário Jorge Torres

Ler mais

Críticas dos leitores

António Mendes

No início ainda prometia ser um filme engraçado com uma aura de "suspense" por causa do "barco da morte" a subir o rio Níger e pela misteriosa epidemia que se espalha pela Nigéria mas... O "barco da morte" é apenas um elemento quase supérfluo. Desaparece no meio do filme e entra de um momento para o outro da maneira mais forçada que podiam ter arranjado. Fim ainda mais forçado. Revela-se como sendo um filme de uma propaganda nojenta. Aparte disso tem uma ou outra cena engraçada, como a cena da perseguição no Níger mas... deixa muito a desejar. Lambert Wilson a fazer mais uma vez (para variar) de "francês perverso". Matthew McConaughey e Penélope Cruz num romance também bastante forçado... Só se pode perguntar como é que se chegou a este patamar. A única coisa que salva o filme é quando o vilão, presidente do Mali, diz: "Isto é África... quem é que se importa?"

Continuar a ler

Ronaldo

Fui ao cinema com dois amigos. Eles gostaram. Eu achei um filme fraco que serve apenas para se comer pipoca.

Continuar a ler

Ricardo

Para quem gosta de grandes aventuras ao estilo de "Indiana Jones" este é o filme adequado. Ingredientes padronizados para este tipo de filmes não faltam. Acção, paisagens fantásticas, vilões temíveis, herói que tudo faz, além de ter a "pinta" deste tipo de filmes e como não podia deixar de ser, a personagem feminina, como sempre, uma "bomba". Apesar disto, não passa de um filme da "pipoca", ou seja, de puro entretenimento, ver e esquecer.

Continuar a ler

José

O filme tem partes em que parece que ficamos parados na história devido a alguns momentos de falatório das personagens. Mas é bom de se ver e a personagem de Penelope Cruz torna o filme engraçado.

Continuar a ler

Rita C.

"Sahara" é um filme simples com poucos artifícios. Indiana Jones no Deserto? Tentativa falhada. A história vai surgindo aos poucos mas sem o mínimo de interesse. O romance entre Penélope Cruz e Mathew McConaughey foi um pouco "forçado" pois não existia necessidade que tal ocorresse para o desenvolvimento do filme. Classificação: fraco.

Continuar a ler

Francisco Mendes

Melhor do que este filme para fazer rir muito, só os filmes do Bruce Lee (desculpem se me enganei a escrever o nome, mas eu não sei chinês), que era aquela espécie de série televisiva em que o protagonista conseguia vencer um exército inteiro sem auxílio de outros intérpretes em acção. Digo e repito "melhor", porque pelo menos este exímio lutador só usava as mãos e os pés para salvar o mundo "dos maus", ao passo que estes "heróis" ainda usaram muitas armas de fogo altamente mortíferas.

Continuar a ler

Maria Isabel Gomes

Este é verdadeiramente, a meu ver, um filme agradável, bonito, com bons intérpretes. Aconselho a quem aprecie um bom filme!

Continuar a ler

Ana Inácio

Já vi o filme e fiquei desiludida. Ando com muito pouca vontade de ir ao cinema precisamente por achar que não aparecem filmes que realmente valham a pena. Este contribuiu para alimentar a minha descrença na indústria cinematográfica americana. Aconselho a que não percam os vossos cinco euros.

Continuar a ler

Pedro Martins

Hoje tomei coragem na tentativa de mudar a minha opinião sobre "kitsch movies". Mas parece que só quando "batemos" com a cabeça na parede, neste caso no ecrã da sala de cinema, é que tomamos consciência deste tipo de cinema. A minha opinião não invalida uma ida, ou várias, ao cinema, até porque estão em cartaz grandes filmes. Dos actores, lamenta-se a presença de William H. Macey, que pelos vistos nesessita de uns troquitos na carteira. Penelope Cruz atinge neste filme a classe mais negativa na arte da representação, que outrora terá sido muito positiva com Almodóvar. Matthew McConaughey, coitado, tem a sua imagem totalmente "digitalizada", com olhos azuis (lentes) e sempre bem arranjadinho, apesar das grandes lutas e o cabelo que nem ao vento se despenteia.<BR/><BR/>O realizador, que nem vale a pena comentar e que já errou no último 007, consolida a sua fraca capacidade de realização, com muitos erros de fotografia e montagem. Acima de tudo, este filme não é simpático e está muito mal realizado.

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!