Cinecartaz

Silêncio

Título original:
Silence
De:
Martin Scorsese
Com:
Andrew Garfield, Liam Neeson, Adam Driver, Tadanobu Asano, Ciarán Hinds, Nana Komatsu, Ryo Kase , Yoshi Oida Yosuke Kubozuka, Shinya Tsukamoto, Issei Ogata
Género:
Drama, Histórico
Classificação:
M/14
Outros dados:
MEX/EUA/TAI, 2016, Cores, 161 min.

Portugal, 1633. Quando a Companhia de Jesus recebe a notícia de que o missionário Cristóvão Ferreira teria renunciado publicamente à Fé Cristã, Sebastião Rodrigues e Francisco Garrpe, dois dos seus discípulos mais fiéis, decidem partir para o Japão para o confirmar. Depois de uma longa viagem, os dois sacerdotes deparam-se com um país empobrecido e com uma população subjugada ao regime Tokugawa, que proibiu o Cristianismo ou quaisquer influências europeias no Japão. Ali, eles vão assistir a perseguições e todo o tipo de crueldade em relação aos cristãos, impedidos de qualquer demonstração de fé em Jesus Cristo…
Este drama histórico foi realizado por Martin Scorsese (“Taxi Driver”, “O Touro Enraivecido”, “Tudo Bons Rapazes”, “Kundun” ou, mais recentemente, “O Lobo de Wall Street”), alguém que estudou para ser padre num seminário e acabou por se virar para o mundo do cinema. O Cristianismo sempre esteve presente na sua obra, sendo o expoente máximo disso “A Última Tentação de Cristo”, o polémico filme de 1988.  "Silêncio" baseia-se no “best-seller” homónimo escrito, em 1966, pelo japonês Shusaku Endo (que, com esta obra, recebeu o prestigiado Prémio Tanizaki). O elenco conta com Andrew Garfield, Adam Driver, Liam Neeson, Tadanobu Asano, Issei Ogata, Shinya Tsukamoto, Yoshi Oida Yosuke Kubozuka, Ryo Kase e Nana Komatsu, entre outros. PÚBLICO

Envie-nos a sua crítica

Para submeter o seu comentário tem que ter javascript activo no seu browser.

Pedimos que respeite os nossos Critérios de Publicação. Reservamo-nos o direito a não publicar quaisquer comentários inadequados ou ofensivos. O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados. Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.

Críticas dos nossos leitores