Os Inocentes

Votos do leitores
média de votos
Drama, Terror 117 min 2021 M/16 06/10/2022 FRA, DIN, NOR, SUE, FIN, GB

Título Original

De uskyldige

Sinopse

É Verão na Noruega. Quatro crianças de um bairro situado nos arredores de Oslo tornam-se amigas. Mas o que seria perfeitamente normal e inocente nessa amizade toma contornos macabros quando elas descobrem ter poderes paranormais. 
Estreado na secção "Un Certain Regard" do Festival de Cinema de Cannes, uma fábula de terror sobrenatural com a assinatura de Eskil Vogt, o aclamado argumentista de “Reprise” (2006), “Oslo, 31 de Agosto” (2011), “Ensurdecedor” ( 2015), “Thelma” (2017), ou “A Pior Pessoa do Mundo” (2021), todos realizados por Joachim Trier. Os jovens Rakel Lenora Fløttum, Alva Brynsmo Ramsta, Sam Ashraf e Mina Yasmin Bremseth Asheim assumem os papéis principais. PÚBLICO

Críticas dos leitores

4 estrelas

José Miguel Costa

"Os Inocentes", segunda longa-metragem do norueguês Eskil Vogt (argumentista da toda a cinematografia do realizador de culto Joachim Trier), é uma intensa obra de terror atmosférico com uma electrizante ambiência de tensão e inquietação, que gradativamente eleva os nossos níveis de adrenalina até aos píncaros, apesar de toda a violência intrínseca ser-nos exposta de modo subtil (quase sensorial) e abdicando de qualquer "espalhafato" gore (conseguindo, igualmente, desse modo, fazer-nos acreditar no realismo de uma história claramente pertença ao domínio do fantástico, cujo enredo por base a interacção entre crianças detentoras de poderes sobrenaturais). Eskil Vogt mergulha-nos desconfortavelmente no seio de um sombrio bloco de apartamentos de um subúrbio pobre para confrontar-nos com a génese da moralidade infantil e a sua consequente percepção/distinção do bem e do mal. Inicialmente apresenta-nos duas irmãs recém-chegadas ao bairro (uma delas com autismo profundo), para no imediato colocá-las em contacto com um dois vizinhos (um rapaz e uma rapariga solitários, ambos provenientes de famílias monoparentais). A convivência (não muito saudável) entre si leva-os a descobrir que possuem múltiplos poderes telecinéticos (inclusivé, o controle de mentes alheias), mais poderosos nuns do que em outros (com a miúda autista a revelar-se o elemento "alfa"), que funcionam em rede. Todavia, aquilo que inicialmente se revelou como um processo exploratório divertido acaba por descambar devido ao lado "dark side" do rapaz (e que irá dar origem a um silencioso choque de titãs, sem que qualquer dos adultos em seu redor se aperceba de tal facto). De realçar que o poder desta película também é fruto da incrível performance interpretativa das 4 crianças.

Continuar a ler

Envie-nos a sua crítica

Preencha todos os dados

Submissão feita com sucesso!