Cinecartaz

José Miguel Costa

3 estrelas

"Patrick" é a primeira longa-metragem do (actor, argumentista e encenador) Gonçalo Waddington ... e temos realizador! Verdade que até gostava de ter amado mais este filme, já que o "argumento silencioso" (algo inverosímil e impregnado de incongruências) tarda em sair do ponto-morto (como que renegando quaisquer conflitos dramáticos) para depois, inesperadamente, carregar a fundo (de um modo clichê, quase suicida) no desenlace.

No entanto, é impossível ficar indiferente à magnifica ambiência rural melancólica criada por Waddington e ao modo como "observa à lupa", sem pressas/contenção estilística (e com expressivos planos contínuos, num verdadeiro estudo de personagem), o enigmático (e desconcertante) protagonista, Hugo Fernandes (o verdadeiro "abono de família" deste filme - fiquem de olho nele!), que carrega nos ombros o peso da pedofilia (enquanto vitima e carrasco).

 “Patrick” segue a história (sem pretender explicá-la e/ou justificá-la) de trauma e incompreensão (fruto de um conflito de identidades e de estilos de vida) vivenciada por Patrick (e a família, que lhe e estranha), o jovem indecifrável, retornado à aldeia natal 12 anos após ter sido raptado por um pedófilo belga.

Publicada a 05-08-2020 por José Miguel Costa