Cinecartaz

José Miguel Costa

2 estrelas

O filme "Árctico", do realizador brasileiro Joe Penna, é o tipico triller de sobrevivência de um individuo isolado em situação limite (todavia, insere-se no subgénero de "disaster movie" realista, sem necessidade de apelo a heroísmos e/ou efeitos especiais espalhafatosos). Neste caso deparamo-nos com Mads Mikkelsen versus natureza, após a sua avioneta ter-se despenhado no imenso e inóspito continente branco, em circunstâncias não mencionadas (aliás, "o passado não existe" – nem sequer chegamos a conhecer a identidade daquele homem –, sendo que o foco incide exclusivamente nas rotinas de sobrevivência do presente).

Trata-se de uma obra minimalista que não se socorre do "drama fácil", dotada de uma narrativa económica e linear (de diálogos escassos) e povoada por um protagonista que nos brinda com uma performance sólida/sóbria e convincente (bem como, por uma omnipresente natureza selvagem de beleza arrebatadora). No entanto, "não aquece, nem arrefece", dado que não consegue repetir senão clichés (de um modo algo "tépido", que jamais nos induz adrenalina).

Publicada a 21-06-2019 por José Miguel Costa