Cinecartaz

Bernardo Castro

Tenebroso

Ivo Ferreira, um cineasta menor da nossa constelação, surpreendeu-me com o anterior "Cartas da Guerra" ao estrear no Festival de Berlim. Não foi o filme que surpreendeu, sendo na verdade muito maçador e indigno de se dizer adaptado de uma obra de Lobo Antunes. O que surpreendeu foi a sorte da selecção de um filme tão desinspirado para um certame tão importante. É sabida a influencia do produtor "O Som e a Fúria" nesta questão dos festivais e Berlim não é território virgem para a casa.
Igual sorte não teve este insípido "Hotel Império", filme muito difícil de condescender, desprovido de ideias, de voz, de autor. É deprimente ver Margarida Vila Nova "ter de" cumprir o que o guião manda. Nada no filme se mantém, nada fica, nada impressiona a não ser o facto de ter sido feito. 

Esta versão legitimada de Ivo Ferreira que faz filmes é uma perda de tempo mas, tendo eu pago bilhete, agora também de dinheiro.

Publicada a 24-05-2019 por Bernardo Castro