Cinecartaz

Lucas Giestas

A "mania"

Quando um cineasta europeu vai parar a Hollywood o seu produto decresce de qualidade pois ele tem deee fazer concessões mas insiste em continuar autor. Os resultados estão à vista.
Quando um cineasta do terceiro mundo (normalmente América latina ou alguma Ásia mas nunca de África) vai parar a Hollywood, parece que a esgrima é outra: é mostrar não que se é diferente e especial mas que se é igual ou tão bom como. Iñarritu e Cuaron estão no topo da lista, seguidos por Salles. Este filme é uma espécie de sopa da pedra. Tem tudo para parecer genuíno aos olhos dos americanos, e tudo para parecer hollywoodesco aos olhos dos mexicanos. É uma festa, porque fica toda a gente contente. E como a história é uma desgraça pegada, até parece uma coisa séria. Vai ganhar o Óscar, até porque com a conversa do muro do Trump, um primeiro "melhor filme" em espanhol é tudo o que o planeta precisa. Hashtag também eu!

Publicada a 26-12-2018 por Lucas Giestas