Cinecartaz

Luís Graça

Os cavalos também se abatem

O filme faz-me lembrar um dos clássicos do romance americano que levei para a guerra colonial, na Guiné, “Os Cavalos Também Se Abatem”, de Horace Maccoy (1935), de que de resto foi feita uma excelente adaptação cinematográfica, com o mesmo nome (“They Shoot Horses, Don't They?", realizado por Sydney Pollack, 1969).

No filme “Eu, Tonya”, não é a maratona de dança com pares que competem, louca e desenfreadamente, por uns míseros tostões ou um prato de comida, em plena crise da Grande Depressão, mas é a mesma América do “struggle for life”, em que na “pole position” não são todos/as iguais ou têm a mesma igualdade de oportunidades…

É uma tragicomédia, com uma aspirante improvável ao estrelato na olímpica patinagem artística, rodeada de “feios, porcos e maus”, do seu meio sociofamiliar, que é tentada a fazer batota… Só que as regras há muito eram viciadas… Um história de vida com “mural ao fundo”… Quatro estrelas.

Publicada a 09-03-2018 por Luís Graça