Cinecartaz

Tarcísio Pacheco

Podia ser melhor? Pode sempre...

Podia ser melhor? Pode sempre ser melhor. E aqui entramos no campo pessoal em que cada um quereria ter visto introduzida a sua perspetiva. Tento sempre avaliar um filme pelo que é e não pelo que eu desejaria que fosse. Há falhas evidentes neste filme mas também há muito mérito. Luz, beleza natural, hiper realismo, fluxo dramático, desempenho dos dois actores principais. Não faço ideia como foi feita a cena do ataque da ursa mas é isso que eu designo por hiper realismo. É preciso não esquecer que o grizzly é um animal imprevisível e muito perigoso, que todos os anos mata seres humanos nos EUA. A reacção da ursa, para mais com crias, é perfeitamente credível (ao contrário de outros momentos do filme). Há cenas lindíssimas, quase sobrenaturais, como o cenário no encontro de Glass com o índio que o ajuda. E há muitos elementos que introduzem profundidade e consistência psicológica na personagem de DiCaprio como o amor pelo filho e a história familiar subjacente, que nos é trazida por via onírica, com um toque sobrenatural.
Devo dizer que escrevi este texto porque, de uma forma geral, achei as críticas que li aqui um pouco pretensiosas e superficiais.

Publicada a 23-02-2016 por Tarcísio Pacheco