Cinecartaz

JOSÉ MIGUEL COSTA

4 estrelas

“Sicaro” é um triller com muita acção (da boa!!) e suspense (com uns "pózinhos" de intriga política) sobre a guerra dos USA contra os cartéis da droga mexicanos. Um "universo" onde não há inocentes (a visão a "preto e branco" dos heróis e vilões não tem aqui lugar), em que lei não tem leis, a ética é colocada "para trás das costas" e a moralidade é "amoral" (imperando a lógica do "dente por dente", combatendo-se o mal com o -alegadamente- menos mal). Tal como é verbalizado, a dado momento, por um dos personagens "nada do que vai ver fará algum sentido para os seus olhos americanos, e irá colocar em causa tudo aquilo que fizermos. Mas, no fim, vai compreender"). E isto tendo por base a célebre premissa de "entre os males o menor", para que no "fim" fique (sempre) tudo (mais ou menos) igual ... afinal, o importante é manter uma certa harmonia no seio do caos (até porque a luta contra crime é uma causa perdida).
Todavia, neste filme mais importante que a narrativa (que até pode considerar-se algo segmentada e apressada/simplista na parte final) é o excelente trabalho técnico da produção (Villeneuve dirige com mestria os momentos de tensão), a magnifica fotografia (assinada por Roger Deakins, colaborador habitual dos irmãos Coen), a estonteante banda sonora de Jóhann Jóhannsson e claro ... a soberba performance de dupla de actores, BENECIO DEL TORO (candidato garantido aos óscares) e Emily Blunt.

Publicada a 18-10-2015 por JOSÉ MIGUEL COSTA