Cinecartaz

JMM

Cate salva Allen

No alto dos meus quase 50 anos, o "meu" Woddy Allen é o de Bananas, Manhattan, Annie Hall, Abc do amor, Intimidades e Ana e as suas irmãs. Depois disso confesso que me divorciei até ter um affaire em Vicky Cristina Bcn e voltei a ausentar-me. Hoje fui para Blue Jasmine com esperança de reaver as memórias dos anos 80 e quase consegui. Quase, porque o argumento apesar de ter uma história interessante, tem personagens de menor densidade intelectual, menos new yorker type, do que a que esperamos num filme de WA, tal como é exemplo a "vidinha" vazia de Jasmine no meio da futilidade e hipocrisia. Sinais dos tempos, a sociedade mudou, já não há pessoas em quem a inquietação intelectual é mais enriquecedora que o consumismo desenfreado? Talvez que desde as figuras vãs de "Less than zero" (Bret Easton Ellis) ,NY e LA tenham mudado até para o Sr Konigsberg. Naquele tempo dizíamos que WA lançava atrizes, agora foi Cate Blanchard que lançou a bóia ao realizador. E Cate trouxe-nos um pouco da Diane Keaton ou da Mia Farrow daquele tempo, e muito dela própria hoje, numa grande, grande interpretação. O filme Não me encheu as medidas mas já valeu a pena. Ela sim, encheu.

Publicada a 29-09-2013 por JMM