Cinecartaz

J.F.Vieira Pinto

Ódio

Por estas bandas, as sinopses relatam, quase invariavelmente, as quezílias entre árabes e israelitas. Não é o caso deste filme do desconhecido Nadav Lapid. Mas nem por isso deixa de transparecer o ódio, que parece ser apanágio desta parte do globo!
“O Polícia” divide-se – pode-se dizer assim – em duas partes: um início que mostra o dia-dia de um polícia de elite, habituado a combater terroristas e depois, a “equipa” de “indignados” com o “sistema”, a planear o sequestro que irá acontecer no final.
É um filme bem construído que, contudo, fica sempre a faltar algo “realmente” diferente”. Persiste sempre ao longo da sua visualização a sensação de que “já vi isto em qualquer outro filme”
Fala-se de capitalismo selvagem; de governos “protetores” às elites económicas e de polícias afectas ao “sistema”. Infelizmente, nada disto é novo...
“O Polícia” parece ter (não deveria) apenas a virtude de ser um filme de Israel. Aproveitemos esta benesse. Embora diga as mesmas coisas, o que diz, tem um outro odor...

Publicada a 14-05-2012 por J.F.Vieira Pinto