Cinecartaz

Rui Pedrosa Franco

A sobrevalorização da banalidade

A única explicação para qualquer entusiasmo à volta deste filme é a "alegria" com que alguns setores recebem tudo quanto possa cheirar (ainda que remotamente) a denúncia do "Estado Judaico", julgando que, com isso, conseguem "pontos" para outras causas. Mas a verdade é que este "O polícia" não é denúncia de coisa alguma e mais não passa de um filme insonso e sem qualquer interesse. A sequência do sequestro, então, é de um amadorismo exasperante. Pura perda de tempo!

Publicada a 20-05-2012 por Rui Pedrosa Franco