Cinecartaz

Fernando Oliveira

A Toupeira

Esta adaptação do romance de John Le Carré, “Tinker, tailor, soldier, spy”, realizada por Tomas Alfredson (autor do muito interessante “Deixa-me entrar” em 2008, uma estranhíssima história sobre o vampirismo) é notável pela construção das ambiências onde evolui a narrativa, e pela “lentidão” desta: a arquitectura dos lugares, a teia que envolve os personagens que torna quase palpável a inquietação que os acompanha, a forma lenta e contemplativa com que segue a investigação de Smiley.
É um filme completamente fora de moda, que poderia ser contemporâneo do tempo da história (os tempos da Guerra Fria, e a investigação para encontrar um espião nas chefias dos Serviços Secretos britânicos), e ao qual o realizador consegue dar um tom que não destoa do dos livros de Le Carré.
Gary Oldman é extraordinário, não apenas na forma como interpreta a inteligência e a frieza de Smiley, faz lembrar a quietude de uma serpente antes de atacar, mas também como quando se mostra nostálgico (magnifico quando recorda o encontro com Karla); muito bem acompanhado por um grupo de actores que, de Colin Firth a John Hurt, mesmo em papéis secundários mostram a sua qualidade.
É um filme bastante interessante e inteligente.
(em "oceuoinfernoeodesejo.blogspot.pt")

Publicada a 06-03-2021 por Fernando Oliveira