Cinecartaz

Francisco Gouveia

Até parece verdade

Um processo inverosímil de utilização do tempo como moeda, acaba por se transformar em algo de real e em que acreditamos. Pelo menos enquanto dura o filme. Interessante, com um argumento com alguma imaginação, é um filme que se vê bem, mau grado os clichés. Um senão que julgo grave, é que acabamos por ter uma história igual se a moeda fosse dinheiro. Sem grandes pretensões, vê-se sem chatear.

Publicada a 22-12-2011 por Francisco Gouveia