Cinecartaz

Filipe Gomes

Sala vazia

Fui ver este filme esta noite e não sei o que é mais dramático, os depoimentos ouvidos na tela, ou o facto de estar completamente sozinho na sala. A sessão era gratuita, mas mesmo assim não estava ninguém. Ainda bem que fui. Não sendo nascido na época destes acontecimentos, gosto de ouvir da boca daqueles que eram e que os viveram. O filme mostra algo que foi real e ainda o é, em muitos outros países. Não há imagens em movimento, mas um movimento muito subtil das imagens fixas, criando a ilusão de estarmos perante imagens filmadas na época. Não é preciso mais nada. Será um dos melhores filmes jamais feitos sobre esta época de Portugal, que ainda vive entre nós, escondida no nosso subconsciente, ou memórias. Não me importa se Salazar era bom a fazer contas. Quem não seria se a riqueza do país não era distribuída? Assim é fácil. Difícil é fazê-lo em democracia. Nem que fosse uma excelente pessoa. Nenhum regime é legítimo, se a sua existência implicar a morte de terceiros. Sou pela vida e agradeço a todos os que lutaram para que pudesse escrever isto hoje e em liberdade. Obrigado.

Publicada a 20-04-2012 por Filipe Gomes