Cinecartaz

Maria

Apagar a memória

Ao ler o testemunho de alguns leitores sobre o filme 48, penso como é triste e cobarde a tentativa de apagar a memória colectiva dos povos. Claro que também se vê este tipo de tentativas até com o holocausto. Não sou da cor política da maior parte dos presos políticos antes do 25 de Abril, nem me identifico com o partido que reclama essa herança. Sou uma portuguesa de 55 anos que apenas deseja que a memória de um país com 8 séculos de história, não seja branqueada no período de 40 anos de ditadura do Salazar, porque foi uma ditadura, porque a PIDE existiu, porque a Legião Portuguesa existiu, é preciso que os nossos filhos saibam a verdade para darem valor à sociedade em que hoje vivem.

Publicada a 01-06-2011 por Maria