Cinecartaz

António Figueira

Um filme quase bom

É um filme razoavelmente bem urdido, bem contado e bem interpretado. Agradável de ver. Pena os pormenores de mau gosto, a música insuportável, os pormenores melodramáticos, tão escusados, e sobretudo a desagradável tendência do realizador de sublinhar tudo, todas as situações, com um traço grosso, não fosse o espectador não perceber: à conta de ser demasiado explicado, o filme torna-se rebarbativo.

Publicada a 02-08-2010 por António Figueira