Cinecartaz

Francisco Zuzarte

Quase perfeito

É pedido neste espaço que demos a nossa crítica sobre o filme que vimos e em relação ao qual possamos expirimir a nossa cítica/opinião. No caso de "O Bom Pastor" a questão coloca-se precisamente neste ponto já que, não havendo filmes perfeitos, este aproxima-se muito da perfeição e por vários motivos. Pela forma como nos engana, ao aparentemente proposto ao espectador um filme de espionagem e nos faz antes mergulhar num drama familiar a partir de uma fita áudio e de um "borrão fotográfico". Pela atenção permanente que exige do espectador ao, lenta mas seguramente, nos guiar por duas estradas diferentes que, acabando por se cruzar, forçam quem todo o seu início de vida lutou por uma verdade em que acredita e vai acreditar, a ter que tomar uma decisão por amor a um país que como ele próprio afirma quando confrontado com uma pergunta de um italiano, "Nós temos os Estados Unidos da América. Todos os outros estão de visita".
Numa altura em que os Estados Unidos estão envolvidos numa guerra sem fim, é de facto inteligente e corajoso este filme de Robert De Niro e talvez por isso tenha ficado fora dos Óscares.
Merece no entanto ser revisto por quem já o viu e gostou, e visto por todos os que quiserem saber, entre outros, o motivo pelo qual "Nós temos os Estados Unidos da América. Todos os outros estão de visita".

Publicada a 26-02-2007 por Francisco Zuzarte