Cinecartaz

Nazaré

O guardador de segredos

A figura de um director operacional dos serviços secretos norte-americanos (ainda antes de serem a CIA), representado pelo sempre notável Matt Damon, é o centro deste filme. Centro de uma teia que ajudou a construir, mas da qual também é prisioneiro. Para além da ilustração do sombrio e aterrador mundo da espionagem e contra-espionagem, é esta figura central que motiva a fita, longa, pausada, mas fascinante.

Poderoso à sua maneira, temido e admirado pelos do seu lado como pelos inimigos, o protagonista sente, até nas vitórias, o desconforto de estar sempre a ser manipulado por todas as figuras que fazem parte da sua vida, sem excepção. Uma psicologia complexa que, em nome da sobrevivência e do dever, se refugia no silêncio.

Recheado de actores de nomes sonantes, em geral a um nível formidável, até abusa: nem Angelina Jolie, a fazer de amantíssima esposa, nem Robert de Niro, na figura do grande general, servem para papéis tão secundários. Em especial ela é uma escolha menos feliz do casting, independentemente da enorme competência como actriz, que não deixa de mostrar.

Publicada a 03-03-2007 por Nazaré