Cinecartaz

Flávio I.

Desilusão

A sequela em si atrai milhões de fãs, o êxtase quase religioso que existe na pós-modernidade demonstra a legião de dedicados a Kar-El entre os quais se conta Nicolas Cage, que atribuiu ao seu filho o nome do "messias" ausente das salas de cinema por 20 anos. No entanto, o filme peca pelo pobre enredo e falta de originalidade não suprido pelos efeitos especiais. Por cerca de 300 millhões de dólares até as estrelas dançariam, este filme é por isso uma desilusão e um tremendo insucesso comercial nos Estados Unidos, razões que levarem o realizador Singer a tentar vender um produto defeituoso ao continente europeu. Esperemos que os mais "eruditos" e "refinados" espectadores europeus, pelo menos disso se vangloriam, façam uma análise de senso comum e admitam o fracasso que é este filme.

Para mim, que vi o filme no Reino Unido, seria uma tortura assistir a uma banalidade cara que só serve a mimados adultos (neste caso o realizador) que por terem acesso ao capital de Hollywood podem tornar os seus sonhos de infância realidades na grande tela. Fracasso e desilusão pelo desperdício de 300 millões de dólares a que nem o talento do novo Lex Luthor e um novo e desconhecido Roth escapam.

Publicada a 25-08-2006 por Flávio I.