Cinecartaz

Danielson Galucio

Faltou a base: a anarquia

O filme "V de Vingança" trouxe para as telas um dos quadrinhos mais questionadores já escritos. Contudo, a adaptação não pôde reproduzir toda a fascinante história do herói de nome V. Partes essenciais do quadrinho foram omitidas ou tiveram sua ordem de acontescimentos alterada. Inicialmente, Evey não estava simplesmente passando pela rua após o toque de recolher. Na verdade, a personagem encontrava-se em um momento de desespero e iria tentar fazer, pela primeira vez, um programa, momento em que V aparece e a salva dos homens do Dedo. Tal fato é essencial, pois vai ser mais uma justificativa para o ritual a que ela é submetida. Ritual de passagem, de resgate da integridade e da esperança de que a condição de desespero não pode ser superior ao sentimento de preservação pessoal.

Entretanto, o ponto mais crítico da adaptação é o fato de V não mostrar sua concepção de anarquismo, algo que é o objetivo primeiro do quadrinho. Por algum motivo os produtores deixaram de fora a frase: "Anarquia significa: sem líder e não sem ordem. Ordem voluntária". Esse ponto seria essencial, pois mostraria o que motiva a vingança de V, ou seja, a devolução da liberdade às pessoas em geral. Uma liberdade que deveria estar aliada com a responsabilidade e com a autonomia, que no quadrinho, seria desenvolvida com a atuação de Evey fazendo o papel de V.

Outros pontos merecem ser criticados, como o fato de não aprofundarem as articulações e traições existentes entre os membros do poder. Além disso, no filme há uma sugestão, posteriormente esclarecida, de que V faria um acordo com um dos políticos, algo totalmente equivocado, pois ele, no quadrinho, emprega sua vingança de forma destemida e sem perdão, matando todos aqueles que estavam metidos com Larkhill, ou protegendo o sistema totalitário.

Apesar de todos os equívocos o filme traz uma visão, nem sempre comercializada dos heróis e da atuação dos políticos, mostrando que se alguns estão no poder, este proveio da sociedade civil, voluntariamente ou por acomodação.

Publicada a 10-04-2006 por Danielson Galucio