Cinecartaz

Cartaz do Filme

O Grande Ditador

Título original:
The Great Dictator
De:
Charles Chaplin
Com:
Billy Gilbert, Charles Chaplin, Henry Daniell, Jack Oakie, Reginald Gardiner
Género:
Comédia
Classificação:
M/6
Outros dados:
EUA, 1940, Preto e Branco, 123 min.

Uma sátira burlesca de Charles Chaplin a Hitler e ao nacional-socialismo, apesar de Chaplin ter acabado por declarar que se, na altura da rodagem, tivesse ideia da verdadeira extensão das atrocidades nazis "nunca poderia ter gozado com tal insanidade homicida". O filme, rodado em segredo no final dos anos 30, estreou na América em 1940, em plena II Guerra Mundial. A história tem como protagonista um soldado-barbeiro judeu que, no final de uma batalha, perde a memória e vai parar a um asilo. O barbeiro tem uma grande semelhança com o ditador Adenoid Hynkel que ganha poder e se prepara para invadir o país vizinho Osterlich. Para isso, tenta arranjar financiamento junto da comunidade judaica, mas esta recusa-se a ajudá-lo. Por essa razão, Hynkel reprime-os violentamente e o barbeiro vai parar a um campo de concentração. Uma das grandes obras de Charles Chaplin e a sua primeira com som, 13 anos após o fim do mudo, com a qual conquistou o prémio de melhor actor (que recusou) atribuído pelo Círculo de Críticos de Cinema de Nova Iorque. O filme foi ainda nomeado para cinco Óscares, entre os quais o de melhor filme.

PÚBLICO

Votos dos Leitores

Média da votação dos leitores, num total de 85 votos (carregue na posição pretendida para votar)

Votos dos Críticos

Envie-nos a sua crítica

Para submeter o seu comentário tem que ter javascript activo no seu browser.

Pedimos que respeite os nossos Critérios de Publicação. Reservamo-nos o direito a não publicar quaisquer comentários inadequados ou ofensivos. O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados. Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.

Críticas dos nossos leitores

  • Luís de Matos

    Riamo-nos muito

    Ainda era pequeno. Meus pais não tinham televisão. Uns vizinhos tinham uma, que lhes saiu por sortei (continuar a ler)

  • Paulo Moura

    A nunca perder

    Sem dúvida alguma, esta é e será uma das maiores pérolas cinematográficas de todos os tempos. A ver  (continuar a ler)

  • Tarek Aziz

    Patético palhaço

    Este filme é péssimo. Uma pantomina, onde o pior mesmo é mímica de palhaço rico do Charlot.

  • Fernando Ribeiro

    Obra-prima

    Obra-prima absoluta. A ver e a rever sempre.