Cinecartaz

Pub

Críticas dos nossos leitores

Críticas dos nossos críticos

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Mário Jorge Torres
    Ocean's 13

    Ocean's 13

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Vasco Câmara
    Ocean's 13

    Ocean's 13

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Luís Miguel Oliveira
    O Astronauta

    O Astronauta

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Mário Jorge Torres
    Zodiac

    Zodiac

    "Zodiac" não terá a perfeição "imaculada" de "Se7en", nem a crença na capacidade de invenção das formas fílmicas de "Alien 2" ou, mesmo, de "Fight Club", ambos "fechados" já num aparato de relação com uma cinefilia em autoquestionação. E, no entanto, o filme renova-se constantemente pelo carácter fantasmático que revela, pelo reconhecível gosto de não permitir ao espectador agarrar-se a esquemas pré-determinados, exigindo atenção crítica. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Mário Jorge Torres
    Verdade Inquietante

    As ruínas do "film noir"

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Luís Miguel Oliveira
    Shortbus

    Shortbus

    Meia-dúzia de personagens, todas razoavelmente tontas, à solta por Greenwich Village a viverem histórias de opressão e (busca de) libertação afectiva e sexual. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Vasco Câmara
    Dias de Glória

    Dias de Glória

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Jorge Mourinha
    Atrás das Nuvens

    Avôzinho diz-me tu

    O cinema português continua em busca de um novo "Crime do Padre Amaro" ou "Filme da Treta", outro sucesso ao nível dos "blockbusters" internacionais, mas os distribuidores já ficam todos contentes porque "Dot.com", de Luís Galvão Teles, fez até agora 25 mil espectadores (segundo o ICAM), número que seria considerado um desastre para um qualquer filme médio estrangeiro mas que para uma produção nacional é um sucesso. Para lá de "Dot.com", 2007 trouxe estreias nacionais que poderiam ter agradado a um público alargado - desde o razoável (como "O Mistério da Estrada de Sintra", de Jorge Paixão da Costa, que fez 11 mil espectadores nas primeiras duas semanas) ao muito fraco ("Suicídio Encomendado", de Artur Serra Araújo, que não chegou aos três mil durante a sua carreira). Comparemos com dois filmes que chegaram internacionalmente com grandes expectativas e que ficaram aquém do que se desejaria comercialmente: "Dreamgirls" teve "apenas" 76 mil espectadores e "O Labirinto do Fauno" ficou-se pelos 40 mil... (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Jorge Mourinha
    Piratas das Caraíbas nos Confins do Mundo

    Piratas das Caraibas

    Sim, há mais Johnny Depp neste terceiro filme do novo "franchise" multimilionário da Disney do que no segundo. O que são boas notícias, até porque temos não um, não dois, mas três, quatro, uma boa dúzia de Johnny Depp, ainda e sempre pirata afectado, a dialogar consigo mesmo (e a encontrar em Geoffrey Rush um "straight man" à altura) - a sua excentricidade chega a contaminar sequências inteiras, a tornar o "blockbuster" de Verão numa experiência burlesca surreal. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Luís Miguel Oliveira
    Piratas das Caraíbas nos Confins do Mundo

    O Fantasma de Errol Flynn (não está aqui)

    E parece que chega ao fim a saga do capitão Jack Sparrow. Que já era cada vez menos a saga do capitão Jack Sparrow e mais a saga de não-sei-quantas personagens infinitamente menos interessantes. (leia no Ípsilon)