Cinecartaz

Críticas dos nossos leitores

  • Ana Andrade
    Relatos Selvagens

    Relatos selvagens

    Não percebo como os criticos dão apenas 1 estrela a este filme. O filme é FABULOSO!

  • Luis Telles
    A Promessa de Uma Vida

    Livra!

    Mais um labrego com pretensões a cineasta! Ah, ah, ah!

  • Luís Telles
    O Sal da Terra

    2 estrelas é demais

    Há um lado profundamente desonesto no trabalho do Sebastião Salgado. As suas fotos manipul (continuar a ler)

  • Mário Sousa
    O Conto da Princesa Kaguya

    Pérola da animação

    Lufada de ar fresco na animação. O primeiro grande filme do ano. Longo mas muito bonito e  (continuar a ler)

  • Tomás
    O Conto da Princesa Kaguya

    Imperdível

    Filme maravilhoso.

  • Brunovsky
    Velocidade Furiosa 7

    Mundo Fantástico

    Perdoem-me os amantes deste tipo de filmes, mas isto chegou a parecer-me ridículo. Carros que v (continuar a ler)

  • Teresa Azevêdo
    O Sal da Terra

    2 stars!!!

    Em face das estrelinhas do Luís Miguel estaremos, de facto, a falar do mesmo filme?

  • klaus
    Os Vingadores: A Era de Ultron

    Preciso de respostas

    Porque que não dá para comprar bilhetes online como no site do Colombo? Lá da para ve (continuar a ler)

  • Mariana Stahl
    Faz-te Homem

    Faz-te Homem

    Por muito que goste do Will Ferrell, este tipo de "comédia" começa a cansar. Os  (continuar a ler)

  • Mariana P. Stahl
    Labirinto de Mentiras

    Labirinto de Mentiras

    Parece-me um filme a ver.

Críticas dos nossos críticos

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Luís Miguel Oliveira
    A Promessa de Uma Vida

    A pouco auspiciosa estreia de Russell Crowe

    A estreia de Russell Crowe na realização, numa produção australiana pensada para coincidir com o centenário da I Guerra e evocar a participação no conflito do célebre ANZAC, o corpo expedicionário composto por australianos e neo-zelandeses (como Crowe) que teve o seu momento mais dramático na Batalha de Gallipoli, na Turquia (outro “oceânico”, Peter Weir, evocou essa batalha em Gallipoli, um simpático filme de guerra feito nos anos 80). (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Luís Miguel Oliveira
    Outro País

    Numa galáxia distante

    Para o 25 de Abril recupera-se Outro País, um filme feito por Sérgio Tréfaut em 1999 (e portanto anterior a Lisboetas, primeiro momento de grande reconhecimento público do realizador) e que nunca tinha chegado às salas comerciais. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Luís Miguel Oliveira
    Outra Forma de Luta

    Nuno de Bragança pergunta, Carlos Antunes responde

    João Pinto Nogueira tinha feito, antes de Outra Forma de Luta, um filme sobre Nuno de Bragança, U Ómãi qe dava Pulus(leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Jorge Mourinha
    Pela Rainha

    Adeus à velha Inglaterra

    Talvez o melhor elogio que se possa fazer ao britânico John Boorman seja este: aqui está um cineasta que se esteve sempre a borrifar para as expectativas e para uma qualquer deriva “autoral”, preferindo seguir a sua inspiração onde quer que ela a levasse. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Jorge Mourinha
    O Sal da Terra

    O compromisso possível

    Mesmo que O Sal da Terra confirme como Wim Wenders, hoje, parece estar mais à vontade no documentário do que na ficção (basta comparar os resultados medíocres dos seus últimos filmes de ficção com o seu extraordinário filme sobre Pina Bausch), fica-nos ainda assim a sensação de que este documentário sobre o percurso de Sebastião Salgado não é exactamente o filme que Wenders quis fazer. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Jorge Mourinha
    Phoenix

    A mulher que viveu duas vezes

    O espantoso Barbara (2012) já nos dizia que o alemão Christian Petzold estava a afinar e a refinar o seu cinema, uma obra trespassada pela própria história da Alemanha enquanto país simultaneamente “dividido” e “recomposto” a partir das cinzas da II Guerra Mundial. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Jorge Mourinha
    O Conto da Princesa Kaguya

    A princesa que queria ser humana

    Se Hayao Miyazaki continua a ser visto internacionalmente como o “mestre” da animação japonesa contemporânea, o seu cúmplice (e associado no Studio Ghibli) Isao Takahata tem sido injustamente relegado para um “segundo plano” que em nada lhe fica atrás. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Luís Miguel Oliveira
    O Sal da Terra

    Sebastião fotografa tudo

    O Sal da Terra começa com a voz de Wim Wenders, em off, a comentar uma fotografia de Sebastião Salgado, a sua admiração por ele, e como não podia deixar de aceitar o convite de Juliano Ribeiro Salgado, filho do fotógrafo, para o ajudar na concretização do filme que preparava sobre o pai. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Jorge Mourinha
    Carlos do Carmo - Um Homem no Mundo

    Carlos do Carmo não merecia isto

    Previsto para estrear em Dezembro último mas retirado à última hora na sequência de questões legais para ressurgir agora nas salas, esta celebração da longa e frutuosa carreira do fadista Carlos do Carmo é um equívoco lamentável. (leia no Ípsilon)

    • 0 Estrelas
    • 1 Estrela
    • 2 Estrelas
    • 3 Estrelas
    • 4 Estrelas
    • 5 Estrelas

    Jorge Mourinha
    O Rapto de Michel Houellebecq

    O homem da Renascença

    A dimensão de “homem da Renascença” moderno do escritor francês Michel Houellebecq fica bem patente nestes dois filmes que a distribuição portuguesa juntou em estreia simultânea. (leia no Ípsilon)