Cinecartaz

JR

Cinema fantasma

Paul Thomas Anderson competentíssimo recorrendo, mais uma vez, ao seu ator de referência, o incomparável Daniel Day-Lewis. Cinema de alta costura, com grandes planos, esteticamente muito belos, de objetos, alimentos ou instrumentos banais. Música deliciosamente calma. Fruir do argumento em bicos dos pés. Às tantas, parece que ainda não vimos nada, que ainda nada se passou mas já vimos tanto, já usufruímos imenso. Como um fantasma, este filme de Anderson, possui-nos e conquista-nos, sem darmos por isso.

Publicada a 21-02-2018 por JR