Cinecartaz

JOSÉ MIGUEL COSTA

4 estrelas

"Barbara", a nova película realizada por Mathieu Amalric (na qual, como sempre, surge como actor), é uma biografia com uma narrativa pouco convencional sobre Barbara, intérprete de culto da chanson francaise (de quem nunca ouvira falar), falecida em 1997.
A sua estrutura até nem é propriamente original, recorrendo ao estratagema do "filme dentro do filme" (ou seja, pese a redundância, um filme acerca da rodagem de um filme sobre Barbara), num continuo jogo de espelhos entre a realidade (através do recurso a imagens documentais, actuações da própria cantora e testemunhos de pessoas que lhe foram próximas, algumas das quais, inclusive, aparecem também como "personagens") e ficção (graças à prestação da actriz que a interpreta, a magnética e enigmática Jeanne Balibar), fundindo/manipulando ambas com tal mestria que, não poucas vezes, temos uma (agradável) dificuldade em perceber a qual das dimensões estamos a assistir. E fá-lo com uma sublime elegância estética, fragmentando-o (num excelente trabalho de montagem) de um modo poético, o que o transforma num produto quase impressionista.
Verdade que, desta forma, acaba por revelar-se pouco informativo e descritivo (e se antes nada sabia sobre a vida e obra da visada, agora pouco mais sei, à excepção de que era uma "grande maluca"), no entanto, para esse efeito existe a internet ... e Almaric opta por dar-nos "apenas" arte (e "o resto são cantigas"!).

Publicada a 02-01-2018 por JOSÉ MIGUEL COSTA