Cinecartaz

J.F.Vieira Pinto

A Amante, A Empregada, o Patrão e a Mulher Deste

Porque sais cedo? Qual a razão de dormires mal? Porque perdes peso sem fazer exercício e sem ser para me agradar? Tens uma namorada não tens?
O “Presidente”, melhor: patrão, da editora Kang acaba de sucumbir ao interrogatório feito pela mulher, logo pela manhã ao pequeno almoço. Não precisou da sub-reptícia para a obtenção da “confissão”.

A “vingança” será tudo menos racional. A esposa traída, vai ter uma desastrosa abordagem da suposta amante, quando entra no escritório do marido e esbofeteia a mulher que lá encontra: Areum. De nada valem os esforços do marido explicar que “a tal”, poderá estar algures em Inglaterra e que tinha acabado há já dois meses. A ausência desta, será muito útil para completar, neste jogo de equívocos, um álibi perfeito...

O título acima sugere Peter Greenaway, contudo, Woody Allen, encaixa melhor neste exercício – as discussões filosóficas sob o efeito do soju, com Areum a superar o “patrão” nas questões incognoscíveis, ou seja: as questões que não se podem conhecer pela razão e inteligência - remete-nos para o norte-americano.

Hong Sang-soo cada vez “ocidentalizado”, provavelmente, mais “globalizado”, o termo mais correto nos tempos que correm. As Histórias sobre o adultério, não fazem diferença em qualquer parte do mundo nem da época em que ocorrem.

Este “O Dia Seguinte” em nada fica a dever, em comparação à sua outra belíssima obra “Noutro País” . Filme genial filmado num b&w perfeito. Obrigatório ver este que é um dos melhores filmes do ano, sem qualquer dúvida.(****)

Publicada a 05-12-2017 por J.F.Vieira Pinto