Cinecartaz

José Miguel Costa

2 estrelas

“Stronger - Força de Viver" é um drama biográfico sobre Jeff Bauman, o anónimo que se tornou o herói improvável de Boston após ter ficado amputado das pernas, consequência de um ataque terrorista ocorrido aquando da maratona anual da cidade, em 15/04/13.

É o género de história, ainda mais sendo um filme americano, que se presta a toda uma glorificação da grande pátria tendo por base o “triunfo contra a adversidade” (servindo-se para o efeito de um caso real de superação, alegadamente heroica, dos traumas físicos e psicológicos de um dos seus concidadãos), pelo que jamais me sentiria impelido a dirigir-me a uma sala de cinema para visioná-lo, não fosse ter no seu elenco Jack Gyllenhaal (bem como pelo facto do realizador, David Gordon Green, se movimentar no “circuito indie”).
No entanto, estes dois não se revelaram como fórmula suficiente para “salvar” a pelicula destas ideias pré-concebidas (apesar da performance de se “tirar o chapéu” do Gyllenhaal que, por certo, lhe valerá uma nomeação para óscar – ou não, dado que, ao contrário do expectável, foi um relativo fracasso comercial em terras do Tio Sam). Mas faça-se-lhe alguma justiça, pois tenta ir além dos clichés sentimentaloides (pelo menos, inicialmente, na medida em que na fase final começa a esbarrar em direcção ao facilitismo populista), ao expor-nos perante um anti-herói “fraco” que “se deixa ir na onda”, explorado pela família e amigos, pelo simples facto de não ter capacidade/motivação (até porque ao que parece que nem sequer teve o necessário acompanhamento psicológico) para impôr os “seus quereres”.

Publicada a 07-11-2017 por José Miguel Costa