Cinecartaz

João

O tempo que andou para trás.

Não é só do preto e branco: parece que o tempo andou para trás, e isso é interessante. Se não fossem os telemóveis, podia ser um filme dos anos setenta. A história, os amores e desamores, o desejo, tudo tão francês. Até os franceses. O tempo pode andar para trás? Pode, no cinema. Enfim, eu não sou um crítico de cinema, apenas digo o que me ocorre.

Publicada a 06-01-2018 por João